Você não está Logado ou Registrado no Fórum. Por favor, faça o Login ou o Registro .
Links Úteis
Você não está Logado ou Registrado no Fórum. Por favor, faça o Login ou o Registro .




Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 1 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
24/07/2014, 20:37
Resposta: #1
Dúvida Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Fala galera, tranquilo?

Recentemente temos comentado em alguns tópicos distintos acerca de situações extremas de sobrevivência e esse assunto me remeteu ao tema antropofagia. Antes de adentrar na ideia do tópico, é oportuno esclarecer o que vem a ser antropofagia. Antropofagia é, por assim dizer, uma espécie do gênero que seria o canibalismo, que se limita ao ato de consumir carne humana.

Por diversas vezes na história do homem nos deparamos com civilizações que consumiam carne de seus próprios membros, essa cultura, porém, praticamente desapareceu das sociedades contemporâneas, tornando o tema o tabu que é hoje.

Minha ideia com o tópico não é discutir se você praticaria ou não o canibalismo, mas sim, entender a posição de cada um acerca dos eventos que elencarei abaixo. São situações adversas, reais e fictícias onde o consumo de carne humana se fez necessário para garantir a sobrevivência da população.

Antes de postar os vídeos e links com alguns desses casos, queria deixar algumas indagações aos amigos, assim como ressaltar que não quero questionar a antropofagia enquanto ritual tribal com finalidades místicas.

Lendo os relatos posteriores aos resgates e outros presentes nos julgamentos daqueles que sobreviveram praticando a antropofagia, resta clara a repulsa popular por se tratar de uma questão moral irredutível. Muito embora seja uma posição comum em várias das sociedades que presenciaram casos semelhantes, acho interessante que todos fundamentam suas justificativas em questões morais, mas sem se tocaram do que vem a ser e como se formam as premissas “morais”. O conceito de moral é um elemento mutante que varia de acordo com a sociedade e o tempo histórico no qual está inserida, todavia, uma coisa é permanente, que é sua essência. A moral nada mais é do que um sentimento coletivo em prol da vida em sociedade.

Bem, partindo deste conceito que apresentei, é até curioso pensar na justificativa daqueles que condenam o canibalismo com argumentos moralmente “corretos”, ora, não é a moral um elemento que possibilita o ajuste da vida em sociedade? Então por qual motivo aquela sociedade que se formou pelas vítimas que vieram a cometer canibalismo não poderia ter suas próprias regras morais? E ainda que a inanição deixasse os sobreviventes impossibilitados de decisões razoáveis, o direito natural se aplicaria a tanto.

Observando sob a ótica utilitarista que prega que as ações são justificáveis quando feitas resultando no bem estar da maioria, isto é, abrir mão da vida de um é justificável se vários vão sobreviver, fica mais fácil aceitar o canibalismo em situações assim. A sociedade não é utilitarista, então prevalecem todos os padrões morais qualquer que seja a situação, mas isso seria suficiente para justificar ou não?

Para vocês, seria moralmente correto consumir carne humana face à necessidade? Muitos estudiosos de técnicas de sobrevivência, de pronto, podem dizer que sim já que a necessidade prevalece, mas não se enganem, esse assunto é amplamente repudiado pelas civilizações modernas.

Para quem ainda não pensou muito sobre o tema ou conhece poucos casos, vou elencar aqui um material para ajudar:

Neste capítulo do curso “Justice” apresentado pro Michael Sandel, são levantados diversos questionamentos acerca do canibalismo voltado à sobrevivência. Um ponto muito interessante deste vídeo é quando o professor indaga aos alunos do anfiteatro quais eram a favor e quais eram contra essas situações, além de apresentar algumas variáveis que mexiam muito com as opiniões dos presentes:

Curso “Justice – Qual a coisa certa a fazer?”apresentado por Michael Sandel:



Documentário do History Channel sobre a relação canibalismo X sobrevivência, chamado “Canibalismo – Supervivencia Extrema” (só encontrei em espanhol):

1ª parte:

2ª parte:

3ª parte:


Livro: Is Eating People Wrong?: Great Legal Cases and How they Shaped the World, de Allan C. Hutchinson. Download torrent:
http://kickass.to/usearch/Is%20Eating%20...0Wrong%3F/

[Imagem: 10428480.jpg]




Alguns tópicos relacionados e de leitura recomendada são:

Sobrevivência e solidariedade: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3248

Livro: O Caso dos Exploradores de Cavernas: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3632

Filme milagre nos andes (a maior proeza de sobrevivência): http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=2724

"Uma longa viagem começa com um único passo" (Provérbio Chinês)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 7 Membros Gostaram da Resposta do VM3
24/07/2014, 21:42
Resposta: #2
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(24/07/2014 20:37)VM3 Escreveu:  Fala galera, tranquilo?

Recentemente temos comentado em alguns tópicos distintos acerca de situações extremas de sobrevivência e esse assunto me remeteu ao tema antropofagia. Antes de adentrar na ideia do tópico, é oportuno esclarecer o que vem a ser antropofagia. Antropofagia é, por assim dizer, uma espécie do gênero que seria o canibalismo, que se limita ao ato de consumir carne humana.

Por diversas vezes na história do homem nos deparamos com civilizações que consumiam carne de seus próprios membros, essa cultura, porém, praticamente desapareceu das sociedades contemporâneas, tornando o tema o tabu que é hoje.

Minha ideia com o tópico não é discutir se você praticaria ou não o canibalismo, mas sim, entender a posição de cada um acerca dos eventos que elencarei abaixo. São situações adversas, reais e fictícias onde o consumo de carne humana se fez necessário para garantir a sobrevivência da população.

Antes de postar os vídeos e links com alguns desses casos, queria deixar algumas indagações aos amigos, assim como ressaltar que não quero questionar a antropofagia enquanto ritual tribal com finalidades místicas.

Lendo os relatos posteriores aos resgates e outros presentes nos julgamentos daqueles que sobreviveram praticando a antropofagia, resta clara a repulsa popular por se tratar de uma questão moral irredutível. Muito embora seja uma posição comum em várias das sociedades que presenciaram casos semelhantes, acho interessante que todos fundamentam suas justificativas em questões morais, mas sem se tocaram do que vem a ser e como se formam as premissas “morais”. O conceito de moral é um elemento mutante que varia de acordo com a sociedade e o tempo histórico no qual está inserida, todavia, uma coisa é permanente, que é sua essência. A moral nada mais é do que um sentimento coletivo em prol da vida em sociedade.

Bem, partindo deste conceito que apresentei, é até curioso pensar na justificativa daqueles que condenam o canibalismo com argumentos moralmente “corretos”, ora, não é a moral um elemento que possibilita o ajuste da vida em sociedade? Então por qual motivo aquela sociedade que se formou pelas vítimas que vieram a cometer canibalismo não poderia ter suas próprias regras morais? E ainda que a inanição deixasse os sobreviventes impossibilitados de decisões razoáveis, o direito natural se aplicaria a tanto.

Observando sob a ótica utilitarista que prega que as ações são justificáveis quando feitas resultando no bem estar da maioria, isto é, abrir mão da vida de um é justificável se vários vão sobreviver, fica mais fácil aceitar o canibalismo em situações assim. A sociedade não é utilitarista, então prevalecem todos os padrões morais qualquer que seja a situação, mas isso seria suficiente para justificar ou não?

Para vocês, seria moralmente correto consumir carne humana face à necessidade? Muitos estudiosos de técnicas de sobrevivência, de pronto, podem dizer que sim já que a necessidade prevalece, mas não se enganem, esse assunto é amplamente repudiado pelas civilizações modernas.

Para quem ainda não pensou muito sobre o tema ou conhece poucos casos, vou elencar aqui um material para ajudar:

Neste capítulo do curso “Justice” apresentado pro Michael Sandel, são levantados diversos questionamentos acerca do canibalismo voltado à sobrevivência. Um ponto muito interessante deste vídeo é quando o professor indaga aos alunos do anfiteatro quais eram a favor e quais eram contra essas situações, além de apresentar algumas variáveis que mexiam muito com as opiniões dos presentes:

Curso “Justice – Qual a coisa certa a fazer?”apresentado por Michael Sandel:



Documentário do History Channel sobre a relação canibalismo X sobrevivência, chamado “Canibalismo – Supervivencia Extrema” (só encontrei em espanhol):

1ª parte:

2ª parte:

3ª parte:


Livro: Is Eating People Wrong?: Great Legal Cases and How they Shaped the World, de Allan C. Hutchinson. Download torrent:
http://kickass.to/usearch/Is%20Eating%20...0Wrong%3F/

[Imagem: 10428480.jpg]




Alguns tópicos relacionados e de leitura recomendada são:

Sobrevivência e solidariedade: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3248

Livro: O Caso dos Exploradores de Cavernas: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3632

Filme milagre nos andes (a maior proeza de sobrevivência): http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=2724

Vini

excelente tópico, mas sendo muito sincero esse seria o meu limite; se minha vida dependesse desse passo, eu não sobreviveria não. Entregaria minha vida a Deus, pararia ai.

Lucio Travassos
=============
Si vis pacem, para bellum
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 8 Membros Gostaram da Resposta do Luciotravassos
24/07/2014, 22:08
Resposta: #3
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
O caso dos sobreviventes dos andes mostra a que ponto podem chegar pessoas desesperadas por comida. É dificil dizer isso sem estar na situação, mas acredito que quanto mais a pessoa estiver preparada para buscar e encontrar alimentação alternativa, menos ela teria que depender de ter que praticar isso.
Aquele gringo que se perdeu na Amazônia e matou o próprio cachorro para se alimentar, mostra que mesmo estando em um ambiente cheio de recursos, inclusive sob os pés dele(minhocas e besouros da terra), por não conhecer esses recursos, sacrificou o seu cão em vão, já que não conseguiu comer a carne depois.

Então é um tema com muitos vértices para se analisar, mas eu digo que, em sã consciência e com a noção que eu tenho sobre fome, eu não seria capaz de praticar isso não. Preferiria encher a barriga com terra e enganar pelo menos o aspecto psicológico.

Para enganar a fome, os haitianos fazem biscoitos de argila/barro e manteiga para comerem.

[Imagem: bolachaslama.jpg]

"Aquila non capit muscas."
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 7 Membros Gostaram da Resposta do fry
24/07/2014, 22:13
Resposta: #4
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Muito bom tema. Parabéns pelo tópico.

Como no incidente dos Andes, se tratando já de pessoas mortas, faria o possível para me manter vivo.
Mas se tratando em ter que "caçar" para me alimentar, seria mais difícil de aceitar.

Claro que estamos falando hipoteticamente, mas só saberia a verdadeira opinião na hora.

Abraço.

" "Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências."
Pablo Neruda
"
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 5 Membros Gostaram da Resposta do Dambrós
24/07/2014, 23:51
Resposta: #5
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Difícil pensar no assunto sem sentir uma repulsa, afinal trata-se de nossos semelhantes. Creio que seria o último recurso e ainda assim teria dificuldades. Por pior que for a situação, acredito que conseguiríamos algo para comer sem recorrer ao canibalismo. Mas, de qualquer forma é um assunto interessante.

Um Abraço,
Ronaldo

"Só Jesus Cristo Salva"
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 4 Membros Gostaram da Resposta do Ronaldão
25/07/2014, 08:49
Resposta: #6
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(24/07/2014 21:42)Luciotravassos Escreveu:  
(24/07/2014 20:37)VM3 Escreveu:  Fala galera, tranquilo?

Recentemente temos comentado em alguns tópicos distintos acerca de situações extremas de sobrevivência e esse assunto me remeteu ao tema antropofagia. Antes de adentrar na ideia do tópico, é oportuno esclarecer o que vem a ser antropofagia. Antropofagia é, por assim dizer, uma espécie do gênero que seria o canibalismo, que se limita ao ato de consumir carne humana.

Por diversas vezes na história do homem nos deparamos com civilizações que consumiam carne de seus próprios membros, essa cultura, porém, praticamente desapareceu das sociedades contemporâneas, tornando o tema o tabu que é hoje.

Minha ideia com o tópico não é discutir se você praticaria ou não o canibalismo, mas sim, entender a posição de cada um acerca dos eventos que elencarei abaixo. São situações adversas, reais e fictícias onde o consumo de carne humana se fez necessário para garantir a sobrevivência da população.

Antes de postar os vídeos e links com alguns desses casos, queria deixar algumas indagações aos amigos, assim como ressaltar que não quero questionar a antropofagia enquanto ritual tribal com finalidades místicas.

Lendo os relatos posteriores aos resgates e outros presentes nos julgamentos daqueles que sobreviveram praticando a antropofagia, resta clara a repulsa popular por se tratar de uma questão moral irredutível. Muito embora seja uma posição comum em várias das sociedades que presenciaram casos semelhantes, acho interessante que todos fundamentam suas justificativas em questões morais, mas sem se tocaram do que vem a ser e como se formam as premissas “morais”. O conceito de moral é um elemento mutante que varia de acordo com a sociedade e o tempo histórico no qual está inserida, todavia, uma coisa é permanente, que é sua essência. A moral nada mais é do que um sentimento coletivo em prol da vida em sociedade.

Bem, partindo deste conceito que apresentei, é até curioso pensar na justificativa daqueles que condenam o canibalismo com argumentos moralmente “corretos”, ora, não é a moral um elemento que possibilita o ajuste da vida em sociedade? Então por qual motivo aquela sociedade que se formou pelas vítimas que vieram a cometer canibalismo não poderia ter suas próprias regras morais? E ainda que a inanição deixasse os sobreviventes impossibilitados de decisões razoáveis, o direito natural se aplicaria a tanto.

Observando sob a ótica utilitarista que prega que as ações são justificáveis quando feitas resultando no bem estar da maioria, isto é, abrir mão da vida de um é justificável se vários vão sobreviver, fica mais fácil aceitar o canibalismo em situações assim. A sociedade não é utilitarista, então prevalecem todos os padrões morais qualquer que seja a situação, mas isso seria suficiente para justificar ou não?

Para vocês, seria moralmente correto consumir carne humana face à necessidade? Muitos estudiosos de técnicas de sobrevivência, de pronto, podem dizer que sim já que a necessidade prevalece, mas não se enganem, esse assunto é amplamente repudiado pelas civilizações modernas.

Para quem ainda não pensou muito sobre o tema ou conhece poucos casos, vou elencar aqui um material para ajudar:

Neste capítulo do curso “Justice” apresentado pro Michael Sandel, são levantados diversos questionamentos acerca do canibalismo voltado à sobrevivência. Um ponto muito interessante deste vídeo é quando o professor indaga aos alunos do anfiteatro quais eram a favor e quais eram contra essas situações, além de apresentar algumas variáveis que mexiam muito com as opiniões dos presentes:

Curso “Justice – Qual a coisa certa a fazer?”apresentado por Michael Sandel:



Documentário do History Channel sobre a relação canibalismo X sobrevivência, chamado “Canibalismo – Supervivencia Extrema” (só encontrei em espanhol):

1ª parte:

2ª parte:

3ª parte:


Livro: Is Eating People Wrong?: Great Legal Cases and How they Shaped the World, de Allan C. Hutchinson. Download torrent:
http://kickass.to/usearch/Is%20Eating%20...0Wrong%3F/

[Imagem: 10428480.jpg]




Alguns tópicos relacionados e de leitura recomendada são:

Sobrevivência e solidariedade: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3248

Livro: O Caso dos Exploradores de Cavernas: http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=3632

Filme milagre nos andes (a maior proeza de sobrevivência): http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...p?tid=2724

Vini

excelente tópico, mas sendo muito sincero esse seria o meu limite; se minha vida dependesse desse passo, eu não sobreviveria não. Entregaria minha vida a Deus, pararia ai.

Penso da mesma forma, tudo tem um limite e o meu é este.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 4 Membros Gostaram da Resposta do rodarte
25/07/2014, 09:18
Resposta: #7
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Concordo com o Dambrós se os caras já estivessem mortos como no acidente dos andes é uma coisa outra coisa é você caçar.
Eu acredito que em situações extremas assim o extinto humano fala muito mais alto e se for o único recurso que restou vai ter que ser esse mesmo ou então morte.
A fala do Fry é bem interessante, ai você vai mata o cachorro e depois não come ele? É pra acabar mesmo hem...chega ser cômico.
Acredito que estamos aqui nesse fórum para aprendermos sobre as outras alternativas de como conseguir alimentos e deixar o canibalismo em última das últimas opções.

"Árvore bonita, flor bonita. Raiz mais importante"
Shunji Nishimura
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 5 Membros Gostaram da Resposta do Rodolpho Menegueti Teixeira
25/07/2014, 13:24
Resposta: #8
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Tabu.

Só estando na situação para saber.

Mas isso, se conseguisse fazer seria o último recurso, óbvio.

Nota-se que nestas casos documentados, chegou-se no limite da sobrevivência no estágio onde é cada um por si, e quando se atinge este ponto é instinto puro não existe nenhuma trava social ou moral.

Contudo só estando na situação para saber, sem o fator psicológico a situação extrema a total falta de outras possibilidades não dá pra ter uma ideia real.

No meu ambiente com os conhecimentos e habilidades que eu tenho, não seria impossível, mas difícil atingir este estágio, em outros ambientes que eu não domino, não tenho ideia, sinceramente não sei.

" O lobo é a força da alcatéia e a alcatéia é a força do lobo".
Rudyard Kipling .
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 5 Membros Gostaram da Resposta do Tiago
25/07/2014, 15:10
Resposta: #9
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Tema dificil, há várias analises, todas corretas, mas para se fazer coisas extremas (dentro daquilo que conhecemos como normal) uma pessoa média teria que estar numa situação extrema.

O clássico seria o avião que caiu nos Andes, creio que a maioria das pessoas quando aborda esse tema já é levada naturalmente para esse caso.

Muitas vezes, a analise se faz necessário não tentarmos trazer o fato para a nossa realidade, mas sim irmos até o fato.

O cenário real e provável ali era:
1. Muitos mortos e feridos
2. Os que estavam vivos estavam desorientados
3. Ambiente hostil ao extremo
4. Localizados no meio de uma cordilheira caídos no cume de um pico

No frio, para se aquecer o corpo consome mais calorias, então a entrada de alimentos é mais requisitada para suprir essa produção de energia; o frio é seco, desidrata muito rapidamente, inclusive em camadas expostas causa ferimentos e até perda de partes do corpo.
O vento em baixas temperaturas tendem a congelar as pálpebras que precisam de proteção para não ocorrer a perda de visão sem contar o branco predominante que também é um fator de risco para a visão.

Mesmo pessoas nativas nessas regiões não se arriscam em certos períodos do ano, o que fazem é acumular provisões para vários meses, até mesmo animais, dependendo da época acabam hibernando.

Então você soma, estado emocional, ambiente selvagem e hostil, temperaturas baixas ao extremo, altitude elevada só por esses elementos todas as as ações precisam ser corretíssimas e extremadas para a sobrevivência, não há medidas que irão remediar um cenário desses, assim como o sujeito no meio de um deserto ou num bote no meio do oceano, são extremos que precisam de medidas extremas.

Esses pontos do planeta fogem à capacidade humana de coexistir, é muito dificil produzir algum aquecimento, não há caça, sem vegetação.

Conheço pouquíssimos lugares assim, mas estive no Deserto do Atacama há algum tempo atrás, uma coisa que me chamou muito a atenção que algumas cidades próximas, as ruas não tem bueiro, pois não chove; tem lugares sem registros históricos de chuva com mais de 500 anos, acredito que similar a ele seria o Saara e mais alguns outros poucos.
Frio extremo tem muitos lugares, praticamente sem vida ou com poucas vidas animais.

Num cenário desses você não tem combustível para produção de fogo, não há o que caçar, o terreno requer grandes habilidades e treinamentos enfim, é necessário medidas extremas, só assim para ter uma chance mínima.

Você se pergunta o quanto você está preparado para uma atitude extrema ?

Lucio Travassos
=============
Si vis pacem, para bellum
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 3 Membros Gostaram da Resposta do Luciotravassos
25/07/2014, 15:19
Resposta: #10
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Estamos falando de sobreviver em lugares assim

[Imagem: Ficheiro:Aerial_photo_of_the_Andes.jpg]


[Imagem: deserto-caracteristicas-3.jpg]

Lucio Travassos
=============
Si vis pacem, para bellum
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do Luciotravassos
25/07/2014, 15:53
Resposta: #11
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Sinceramente, não sei se esse seria meu limite. Não há como dizer isso hoje, pois estou bem alimentado (bem até demais). No caso dos Andes, onde ficaram muito tempo sem alimentação, tentando desesperadamente achar meios para sobreviver, o psicológico muda, e muito. Para dizer se eu faria ou não, só estando na mesma situação, minha vontade de viver X taboo.
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 4 Membros Gostaram da Resposta do alexandrer
25/07/2014, 16:20
Resposta: #12
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(24/07/2014 21:42)Luciotravassos Escreveu:  Vini

excelente tópico, mas sendo muito sincero esse seria o meu limite; se minha vida dependesse desse passo, eu não sobreviveria não. Entregaria minha vida a Deus, pararia ai.


Opa, obrigado pelas palavras Lúcio.

Sinceramente eu não consigo dizer como eu agiria numa situação dessas, inicialmente é algo que parece extremamente repulsivo, mas depois de ver os casos de sucesso onde pessoas sobreviveram graças à antropofagia, começo a duvidar de minha opinião atual. Mas acho que um marco muito importante é a situação daquele que será consumido, se morto ou vivo.



(24/07/2014 22:13)Dambrós Escreveu:  Muito bom tema. Parabéns pelo tópico.

Como no incidente dos Andes, se tratando já de pessoas mortas, faria o possível para me manter vivo.
Mas se tratando em ter que "caçar" para me alimentar, seria mais difícil de aceitar.

Claro que estamos falando hipoteticamente, mas só saberia a verdadeira opinião na hora.

Abraço.


Obrigado pelas palavras, Dambrós.

Também sempre bato nessa questão de alguém ter que morrer para suprir as necessidades dos outros. Como você destacou, no caso dos Andes, as pessoas já estavam mortas, então pareceu "menos difícil" (muito embora alguns ali tenham consumido seus próprios familiares), por outro lado, no caso do naufrágio inglês, mataram um dos tripulantes do bote, então a figura me parece outra.



(24/07/2014 23:51)Ronaldão Escreveu:  Difícil pensar no assunto sem sentir uma repulsa, afinal trata-se de nossos semelhantes. Creio que seria o último recurso e ainda assim teria dificuldades. Por pior que for a situação, acredito que conseguiríamos algo para comer sem recorrer ao canibalismo. Mas, de qualquer forma é um assunto interessante.

Se puder, depois assista ao vídeo "Milagre nos Andes" cujo tópico indiquei no primeiro post. Ali eles não tinham nem uma gramínea sequer para comer. O caso do naufrágio inglês também não gerou possibilidade de pesca ou obtenção de qualquer nutriente.

Meu pensamento é bem próximo ao seu, seria o último recurso e, ainda sim, com muita dificuldade. Mas às vezes penso que essa repulsa possa sumir num estado de necessidade, do contrário poderemos acabar nos comprometendo pela repulsa, já que seria bem provável regurgitar.

"Uma longa viagem começa com um único passo" (Provérbio Chinês)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do VM3
25/07/2014, 17:05
Resposta: #13
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(25/07/2014 13:24)Tiago Escreveu:  Tabu.

Só estando na situação para saber.

Mas isso, se conseguisse fazer seria o último recurso, óbvio.

Nota-se que nestas casos documentados, chegou-se no limite da sobrevivência no estágio onde é cada um por si, e quando se atinge este ponto é instinto puro não existe nenhuma trava social ou moral.

Contudo só estando na situação para saber, sem o fator psicológico a situação extrema a total falta de outras possibilidades não dá pra ter uma ideia real.

No meu ambiente com os conhecimentos e habilidades que eu tenho, não seria impossível, mas difícil atingir este estágio, em outros ambientes que eu não domino, não tenho ideia, sinceramente não sei.

Verdade, acho inclusive que este é o maior tabu da sobrevivência.

Uma questão sempre levantada nos estudos e julgamentos de situações assim é justamente essa do chamado "estado de necessidade, definido pelo artigo 24 do código penal: "Art. 24 - Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato para salvar de perigo atual, que não provocou por sua vontade, nem podia de outro modo evitar, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, nas circunstâncias, não era razoável exigir-se". O que também é explicado pelo Direito Natural, limitando imensamente o alcance da moral. Nesse sentido, dê uma olhada no livro que indiquei no post inicial caso não o conheça, trata-se do "O caso dos exploradores de cavernas", que embora seja um caso fictício, retrata com maestria a opinião pública sobre o tema.

O corpo e a mente humana são facilmente adaptáveis, então também acho que só vivendo uma situação dessas para poder julgar por definitivo minha opinião, muito embora eu não condene quem já o tenha praticado a antropofagia nessas circunstâncias.



(25/07/2014 15:10)Luciotravassos Escreveu:  Tema dificil, há várias analises, todas corretas, mas para se fazer coisas extremas (dentro daquilo que conhecemos como normal) uma pessoa média teria que estar numa situação extrema.

O clássico seria o avião que caiu nos Andes, creio que a maioria das pessoas quando aborda esse tema já é levada naturalmente para esse caso.

Muitas vezes, a analise se faz necessário não tentarmos trazer o fato para a nossa realidade, mas sim irmos até o fato.

O cenário real e provável ali era:
1. Muitos mortos e feridos
2. Os que estavam vivos estavam desorientados
3. Ambiente hostil ao extremo
4. Localizados no meio de uma cordilheira caídos no cume de um pico

No frio, para se aquecer o corpo consome mais calorias, então a entrada de alimentos é mais requisitada para suprir essa produção de energia; o frio é seco, desidrata muito rapidamente, inclusive em camadas expostas causa ferimentos e até perda de partes do corpo.
O vento em baixas temperaturas tendem a congelar as pálpebras que precisam de proteção para não ocorrer a perda de visão sem contar o branco predominante que também é um fator de risco para a visão.

Mesmo pessoas nativas nessas regiões não se arriscam em certos períodos do ano, o que fazem é acumular provisões para vários meses, até mesmo animais, dependendo da época acabam hibernando.

Então você soma, estado emocional, ambiente selvagem e hostil, temperaturas baixas ao extremo, altitude elevada só por esses elementos todas as as ações precisam ser corretíssimas e extremadas para a sobrevivência, não há medidas que irão remediar um cenário desses, assim como o sujeito no meio de um deserto ou num bote no meio do oceano, são extremos que precisam de medidas extremas.

Esses pontos do planeta fogem à capacidade humana de coexistir, é muito dificil produzir algum aquecimento, não há caça, sem vegetação.

Conheço pouquíssimos lugares assim, mas estive no Deserto do Atacama há algum tempo atrás, uma coisa que me chamou muito a atenção que algumas cidades próximas, as ruas não tem bueiro, pois não chove; tem lugares sem registros históricos de chuva com mais de 500 anos, acredito que similar a ele seria o Saara e mais alguns outros poucos.
Frio extremo tem muitos lugares, praticamente sem vida ou com poucas vidas animais.

Num cenário desses você não tem combustível para produção de fogo, não há o que caçar, o terreno requer grandes habilidades e treinamentos enfim, é necessário medidas extremas, só assim para ter uma chance mínima.

Você se pergunta o quanto você está preparado para uma atitude extrema ?

Excelentes colocações. Elencar os fatos sobre os quais deveríamos nos orientar para chegarmos a uma resposta mais plausível realmente auxilia bastante. Ademais, como você já destacou, qualquer análise é correta.

Realmente o ambiente em que se encontravam os tripulantes do voo que colidiu nos Andes, é muito extremo e pouco provável que se repita, bem como o caso do naufrágio inglês. Por outro lado, a falta de conhecimento técnico e mesmo teórico de forma de obtenção de comida pode ser um fator que "produza" esse ambiente escasso, como foi o caso dos prisioneiros da Tasmânia que foram consumindo todo o grupo por não poderem extrair qualquer alimento daquela ilha. Certamente haviam medidas ali suficientes a suprir algumas das necessidades fisiológicas, mas a falta de conhecimento fez com que a situação se tornasse, virtualmente, num evento extremo.

Quanto ao acidente aéreo, é bem provável que todas essas dificuldades que enumerou tenham levado aquelas pessoas ao seu estado mais primitivo, despindo-os de qualquer senso de justiça, religião e moral. Desta forma a antropofagia deixa de ser uma escolha, mas passa a ser uma "consequência natural".

É muito interessante ver o relato do capitão do navio inglês naufragado quando se refere ao dia em que foram encontrados. Ele descreveu em seu diário que havia avistado o navio alemão enquanto tomava seu café da manhã. Refeição esta que se tratava do tripulante que foi assassinado para o consumo pelos demais.

Sempre que me deparo com casos assim, dificilmente consigo culpar uma pessoa por sobreviver pelo consumo da carne de outra (quando morta), mas isso nunca me foi suficiente para me deixar convicto de minha reação a uma situação dessas. Tento me preparar psicologicamente para tudo, porém, duvido que exista algum preparo para isso, ainda mais se tratando do próprio familiar, como ocorreu nos Andes.

A despeito de qualquer estudo e preparo que possamos ter, um evento como esses só ocorre depois que se supera qualquer limite de resistência física por privação de nutrientes. Creio que dificilmente um ser humano ainda no gozo de sua plena capacidade psicológica consumiria outro para poder sobreviver. Os efeitos físicos e psicológicos da inanição são extremamente severos e alteram completamente um ser humano. Naquele tópico do Caburai em que se discute sobre o vegetarianismo na sobrevivência, coloquei uma indicação de um episódio do Naked and Afraid onde uma mulher vegetariana se alimenta de carne por extrema necessidade (aqui temos que convir que pode ter sido uma encenação) à despeito de quaisquer valores prévios que possuía. O caso em tela, ainda que num nível infinitamente superior, provavelmente é uma decorrência desse estado físico.




(25/07/2014 15:53)alexandrer Escreveu:  Sinceramente, não sei se esse seria meu limite. Não há como dizer isso hoje, pois estou bem alimentado (bem até demais). No caso dos Andes, onde ficaram muito tempo sem alimentação, tentando desesperadamente achar meios para sobreviver, o psicológico muda, e muito. Para dizer se eu faria ou não, só estando na mesma situação, minha vontade de viver X taboo.


Opa, obrigado por responder.

Realmente é difícil prever como agiríamos numa situação assim. A inanição é algo que altera nossas capacidades mentais de forma tão absurda que não sei se chegaria a haver um "julgamento" de valores, por assim dizer. Acho que qualquer um se alimentaria como se fosse algo natural.

"Uma longa viagem começa com um único passo" (Provérbio Chinês)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do VM3
25/07/2014, 17:22
Resposta: #14
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(25/07/2014 17:05)VM3 Escreveu:  
(25/07/2014 15:53)alexandrer Escreveu:  Sinceramente, não sei se esse seria meu limite. Não há como dizer isso hoje, pois estou bem alimentado (bem até demais). No caso dos Andes, onde ficaram muito tempo sem alimentação, tentando desesperadamente achar meios para sobreviver, o psicológico muda, e muito. Para dizer se eu faria ou não, só estando na mesma situação, minha vontade de viver X taboo.


Opa, obrigado por responder.

Realmente é difícil prever como agiríamos numa situação assim. A inanição é algo que altera nossas capacidades mentais de forma tão absurda que não sei se chegaria a haver um "julgamento" de valores, por assim dizer. Acho que qualquer um se alimentaria como se fosse algo natural.

A falta de carboidrato ja altera muito, tirando nosso humor, nos deixando mal humorado, imagina a inanição completa. Acredito que quando uma das necessidades básicas do corpo esta comprometida, o próprio senso de sobrevivência dita as regras, anulando valores e regras civilizados, entrando em vigor um "modo animal". Vale aqui ressaltar uma diferença ainda, uma coisa é comer carne humana, como no caso dos jogadores presos nos Andes, outra bem diferente é "caçar, matar para comer".
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 3 Membros Gostaram da Resposta do alexandrer
25/07/2014, 17:38
Resposta: #15
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Esse é um ponto que eu sempre saliento muito nos textos que escrevo, com relação à um fato com forte impacto numa pessoa ou sociedade que a modificará para sempre, é um caminho sem volta.

Temos um grande exemplo da Alemanha, que após a guerra, o povo refletiu sobre os fatos e mudaram completamente sua posição e forma de pensar e agir.
As bombas atômicas em Hiroshima e Nagazaki, mudaram o povo Japonês.

Uma pessoa que vive esse tipo de experiência ela é modificada para sempre, me recordo que há algum tempo, os sobreviventes dos Andes deram algumas entrevistas para uma emissora de TV ainda é um dogma falar sobre os fatos lá ocorridos, as pessoas querem deixa-los lá, mas isso não é possível.

Esses relatos não estão restritos ao passado e nem sequer apenas aos acidentes, em grandes guerras esses fatos ocorrem, na China na revolução comunista era fato comum, hoje há relatos desse tipo de fato na Coréia do Norte


http://noticias.r7.com/internacional/cor...s-29012013


"A Coréia do Norte é a ditadura mais fechada do planeta. Um estrangeiro não pode, imaginem vocês, entrar no país com um reles celular. É proibido dobrar um jornal que tenha estampada a foto do “estimado líder”. Alimenta-se no país o mito de que o nascimento do nanico homicida se fez anunciar por uma estrela e um arco-íris duplo. Trata-se de uma dos países mais miseráveis do mundo — em contraste com a rica Coréia do Sul —, porém com um Exército regular de mais de um milhão de homens e pelo menos 4 milhões de reservistas. Mais: embora boa parte dos 23 milhões de coreanos passe por terríveis privações — há relatos de canibalismo em áreas rurais ...." (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/t...do-norte/)


Quando pensamos nesses fatos, num exemplo como guerras ou regimes autoritários nosso nivel de stress e preocupação fica em estado de alerta, pois o mundo hoje caminha para um cenário de guerra, e nesta tudo ocorre.

Lucio Travassos
=============
Si vis pacem, para bellum
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do Luciotravassos
25/07/2014, 20:13
Resposta: #16
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(25/07/2014 15:19)Luciotravassos Escreveu:  Estamos falando de sobreviver em lugares assim
[Imagem: Ficheiro:Aerial_photo_of_the_Andes.jpg]
[Imagem: deserto-caracteristicas-3.jpg]
Ou assim:
[Imagem: Oceano.jpg]

Um livro que nunca me sai da cabeça sobre esse tema é o "No Coração do Mar" de Nathaniel Philbrick, que conta a história real do naufrágio do Essex, navio baleeiro do século XIX afundado por um cachalote mal humorado. (Mãe natureza é irônica nas suas punições.)
A tripulação de 20 marinheiros ficou a deriva em 3 botes, e 3 meses depois 8 pessoas foram resgatadas e um bote foi encontrado cheio de ossos.
Ironicamente os náufragos poderiam ter rumado pra uma ilha do pacífico, mas escolheram outra rota por medo dos nativos de lá, supostamente canibais...
[Imagem: No+Cora%C3%A7%C3%A3o+do+Mar.jpg]

O livro é fascinante, e foi uma das coisas que me levou a pensar mais sobre conhecimentos técnicos em sobrevivência, itens para emergência, preparo psicológico para situações extremas e etc...

É uma dos preferidos da minha estante. Lá vai um link pro livro (infelizmente só achei em inglês e em formato .mobi e .epub): http://ebooks.i2p.us/bookdetail.php?id=4672

Mas voltando ao assunto: Numa situação dessas (Deserto ou alto mar com sol escaldante), é mais fácil se morrer de sede do que de fome. Canibalismo, matar ativamente alguém pra comer, pra mim é algo extremo, difícil de até de imaginar. Passo a vez...

"Você é parte da Natureza! Você pode até se esquecer disso... Cuidado: Ela jamais esquecerá!"
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 3 Membros Gostaram da Resposta do andreluis7mmv
25/07/2014, 21:30
Resposta: #17
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Ta no mato e não conseguir achar recursos por falta de preparo é uma coisa,esta em alto mar em um barco sem nenhum recurso ai só estando la pra saber.muito legal este tópico,temos mais é que nos prepararmos[/i].

Eternamente um Bushcrafter!!!#GQueiroz#
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 6 Membros Gostaram da Resposta do gear queiroz
25/07/2014, 21:41
Resposta: #18
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Muito difícil de saber. Somente estando na situação mesmo para poder falar. Espero nunca ser colocado numa situação dessas. Mas como diz o ditado, pessoas desesperadas tomam medidas desesperadas.

No filme, A Estrada, a questão do canibalismo é bem relatada. Existem comunidades que vivem de literalmente caçar humanos e mante-los vivos para posterior consumo. Se eu tivesse que fazer isso, preferiria morrer.




"Vede como é grande o amor concedido a nós pelo Pai, ao ponto de sermos chamados filhos de Deus." 1 Jo 3:1
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 6 Membros Gostaram da Resposta do Caburai
26/07/2014, 13:15
Resposta: #19
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
seria meu limite tbm não teria coragem, e o filme citado é muito bom

tudo sei que nada sei! palavras sabias de alguém que não sabe nada!
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 3 Membros Gostaram da Resposta do Wandão
24/04/2016, 22:31
Resposta: #20
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Na impossibilidade de alternativa, como o caso classico dos Andes, eu realizaria o ato..
Temos que lembrar que mesmo sendo seres civilizados, e em tese pautados em fatores morais, somos geneticamente programados para fazer o que for necessario nos limites da sobrevivencia, triste.mas um fato a se considerar
Otimo topico que seria interessante que nao venhamos a se furtar do mesmo e sairmos da area de conforto para debatermos tal pauta que esta totalmente relacionado ao nosso estudo.
Abs meu Povo Piscada

Natureza Brasileira!!! Ontem, Hoje, Amanhã e Sempre!!!!
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do LEÃO DO MATO
30/08/2016, 10:03
Resposta: #21
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(24/04/2016 22:31)LEÃO DO MATO Escreveu:  Temos que lembrar que mesmo sendo seres civilizados, e em tese pautados em fatores morais, somos geneticamente programados para fazer o que for necessario nos limites da sobrevivencia, triste.mas um fato a se considerar

Ótima colocação.

Como dito por VM3, por muito tempo a antropofagia foi realizada - seja apenas com o objetivo de se alimentar ou em rituais. Diga-se de passagem que em alguns rituais acreditavam que quem ingerisse a carne alheia tomaria posse de suas habilidades (força, coragem, etc). Meio macabro, não?

Mas vale ressaltar que quando estudamos história tudo isso parece absurdo, mas na época era considerado normal. Vide idade média quando acreditavam em bruxas, quando a peste negra era considerada um "castigo" por pecados, etc. Corremos o risco de ter alguma prática atual tachada de "loucura" da mesma nos séculos que virão...

Além do fator genético que nos programa para fazer o que for necessário para sobrevivermos, também temos o fator social que nos programa fazer o que é dado como "correto". Sigmund Freud (1856-1939) foi o fundador da psicanálise, e elaborou os conceitos de "Id, Ego e Super Ego" - que muito de vocês já ouviram falar:

Resumidamente o Id é a parte de nosso aparelho psicológico que representa o princípio do prazer, ou seja, busca agregar coisas boas ao nosso organismo, não se importando com as regras ditas pelo grupo. O Super Ego por sua vez é o contrário: é o princípio da moral. É o Super Ego que absorve as normas culturais e molda nossos comportamentos. O Ego é o princípio da realidade: a balança entre o Id e o Super Ego. É a partir do Ego que tomamos nossas decisões e/ou que entramos em conflitos com nossos atos/planos.

Numa situação de sobrevivência certamente o Id falaria mais alto que o Super Ego, permitindo a busca pela saciação da fome, mas dependerá também de sua história de vida da pessoa, suas crenças, etc. Em situações extremas o Super Ego pode ser "esquecido", mas ao passar das situações perigosas, o Super Ego pode surgir com tudo e causar o que denominamos de traumas e/ou sentimento de culpa pelo conflito psíquico decorrerá.

Outra teoria muito utilizada é a pirâmide das necessidades de Abraham Maslow (1908-1970). Esta teoria estuda a motivação humana, que sempre está em busca da autorrealização (veja imagem abaixo).

[Imagem: pirc3a2mide-de-maslow.jpg]

Mas para atingir a autorrealização, primeiro temos de subir os degraus da pirâmide, sendo o primeiro degrau as necessidades fisiológicas - inclusive a fome. A pirâmide de Maslow é muito utilizada em teorias de RH para produção humana.

Termino este post reforçando que todas nossas ações dependerão da maneira que fomos criados, nossas crenças e experiências. Cada organismo responde a um estímulo de uma determinada maneira (ou às vezes nem responde)... O que pode ser bom para uma pessoa, é ruim para outra, e assim vai. É impossível resumir a natureza humana em apenas uma teoria - uma completa a outra, mesmo que às vezes sejam antagônicas.

PS: Tentei expor meu ponto de vista resumindo as teorias da forma mais simples e didática possível. É complicado reduzir anos de estudos destes mestres em apenas um post.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 4 Membros Gostaram da Resposta do Guilherme Marcondes
30/08/2016, 13:36
Resposta: #22
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Obrigado pelo retorno e Otimo complemento Guerreiro.

Abs Marcondes e seja novamente bem vindo Piscada


(30/08/2016 10:03)Guilherme Marcondes Escreveu:  
(24/04/2016 22:31)LEÃO DO MATO Escreveu:  Temos que lembrar que mesmo sendo seres civilizados, e em tese pautados em fatores morais, somos geneticamente programados para fazer o que for necessario nos limites da sobrevivencia, triste.mas um fato a se considerar

Ótima colocação.

Como dito por VM3, por muito tempo a antropofagia foi realizada - seja apenas com o objetivo de se alimentar ou em rituais. Diga-se de passagem que em alguns rituais acreditavam que quem ingerisse a carne alheia tomaria posse de suas habilidades (força, coragem, etc). Meio macabro, não?

Mas vale ressaltar que quando estudamos história tudo isso parece absurdo, mas na época era considerado normal. Vide idade média quando acreditavam em bruxas, quando a peste negra era considerada um "castigo" por pecados, etc. Corremos o risco de ter alguma prática atual tachada de "loucura" da mesma nos séculos que virão...

Além do fator genético que nos programa para fazer o que for necessário para sobrevivermos, também temos o fator social que nos programa fazer o que é dado como "correto". Sigmund Freud (1856-1939) foi o fundador da psicanálise, e elaborou os conceitos de "Id, Ego e Super Ego" - que muito de vocês já ouviram falar:

Resumidamente o Id é a parte de nosso aparelho psicológico que representa o princípio do prazer, ou seja, busca agregar coisas boas ao nosso organismo, não se importando com as regras ditas pelo grupo. O Super Ego por sua vez é o contrário: é o princípio da moral. É o Super Ego que absorve as normas culturais e molda nossos comportamentos. O Ego é o princípio da realidade: a balança entre o Id e o Super Ego. É a partir do Ego que tomamos nossas decisões e/ou que entramos em conflitos com nossos atos/planos.

Numa situação de sobrevivência certamente o Id falaria mais alto que o Super Ego, permitindo a busca pela saciação da fome, mas dependerá também de sua história de vida da pessoa, suas crenças, etc. Em situações extremas o Super Ego pode ser "esquecido", mas ao passar das situações perigosas, o Super Ego pode surgir com tudo e causar o que denominamos de traumas e/ou sentimento de culpa pelo conflito psíquico decorrerá.

Outra teoria muito utilizada é a pirâmide das necessidades de Abraham Maslow (1908-1970). Esta teoria estuda a motivação humana, que sempre está em busca da autorrealização (veja imagem abaixo).


Mas para atingir a autorrealização, primeiro temos de subir os degraus da pirâmide, sendo o primeiro degrau as necessidades fisiológicas - inclusive a fome. A pirâmide de Maslow é muito utilizada em teorias de RH para produção humana.

Termino este post reforçando que todas nossas ações dependerão da maneira que fomos criados, nossas crenças e experiências. Cada organismo responde a um estímulo de uma determinada maneira (ou às vezes nem responde)... O que pode ser bom para uma pessoa, é ruim para outra, e assim vai. É impossível resumir a natureza humana em apenas uma teoria - uma completa a outra, mesmo que às vezes sejam antagônicas.

PS: Tentei expor meu ponto de vista resumindo as teorias da forma mais simples e didática possível. É complicado reduzir anos de estudos destes mestres em apenas um post.

Natureza Brasileira!!! Ontem, Hoje, Amanhã e Sempre!!!!
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do LEÃO DO MATO
01/09/2016, 06:33
Resposta: #23
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(30/08/2016 10:03)Guilherme Marcondes Escreveu:  ...
PS: Tentei expor meu ponto de vista resumindo as teorias da forma mais simples e didática possível. É complicado reduzir anos de estudos destes mestres em apenas um post.



Grande Guilherme,

Gostaria de iniciar agradecendo ao conteúdo que você acrescentou a este post. Em assuntos como esses, a visão de um profissional é de grande valor, portanto sinta-se à vontade para se estender o quanto quiser.

Conforme muitos já mencionaram, quando nos encontramos numa situação legalmente definida como "estado de necessidade", a percepção social de um indivíduo é significativamente restringida, caso este, como esclarecido por você, seria o Id prevalecendo sobre o Super Ego. O que acho interessante disso tudo é o quanto o conceito de moral e justiça se sobrepõem à uma necessidade básica (como a alimentação) numa situação hipotética. Percebo que entre pessoas ligadas ao bushcraft e sobrevivência, a real necessidade de tal ato não parece tão absurda, enquanto que todo o resto da sociedade o repudia. Talvez seja pela ilusória sensação de segurança proporcionada por bens materiais e pelo Estado, ou até mesmo por prepotência. Muitos que se dizem sobrevivencialistas apontam a antropofagia como uma prática decorrente do despreparo face a situações extremas. Afirmações deste tipo me deixam perplexo com tamanha a prepotência que alguns encaram a vida. Será que esse cidadão não consegue imaginar uma situação sequer onde os eventos fujam totalmente ao seu controle?
Na região onde moro os nativos acreditam que todo e qualquer ser seja ligado geneticamente e, por isso, respeitam desde o meio ambiente físico ao plano espiritual. Aprofundando um pouco mais o estudo em algumas culturas ritualísticas, percebe-se que o respeito à natureza se dá não somente pela convivência harmoniosa, mas também pelo medo. Esses grupos percebem a natureza de forma diametralmente oposta aos sobrevivencialistas aos quais me referi anteriormente, uma vez que aceitam a posição de subordinados aos fenômenos naturais. A ciência certamente reduziu a credibilidade deste tipo de crença, mas me pergunto em que ponto os sobrevivencialistas, que se debruçam sobre culturas primitivas para conseguir contornar uma situação atípica, deixaram de respeitar o poder destrutivo dos elementos naturais. Fenômenos naturais não são as únicas causas que levam ao estado de emergência, mas são grande parte delas.
Entendo que em todo e qualquer ser humano, ainda que se enquadre neste grupo acima, as emoções, crenças e sentimentos sejam ofuscados pela imediata necessidade de autopreservação. Mas isso obviamente é minha mera opinião e muitas horas de discussões e estudos seriam necessárias para esclarecer um pouco desse conteúdo que tanto nos intriga.
Mais uma vez, muito obrigado pela sua colocação neste tópico, pode ter a certeza que foi e sempre será de grande valia para a nossa aprendizagem.

Grande abraço

"Uma longa viagem começa com um único passo" (Provérbio Chinês)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do VM3
01/09/2016, 09:47
Resposta: #24
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Recentemente li o livro que inspirou o filme A Estrada. Como já foi dito acima, pessoas praticavam o canibalismo.
Voltei ao livro/filme pois o mesmo aborda uma situação para a qual dificilmente podemos nos preparar. Em um mundo morto, sem possibilidades de conseguir alimento seja vegetal ou animal e como os alimentos produzidos por nós (enlatados e etc.) praticamente não existem mais, as pessoas acabam por perder a humanidade que desenvolvemos ao longo da nossa evolução para se manter vivos.
No filme pude perceber que muitas pessoas que se tornaram canibais, eram família. Esse é um ponto de vista interessante. Até quanto um pai aguenta ver seus filhos, esposa passar fome até morrer?
Temos também o personagem principal que apesar de passar fome com o filho, se recusa a praticar o canibalismo.
Penso que em um cenário como o do filme, onde não se pode conseguir qualquer tipo de alimento na Natureza prevendo que minha filha, por exemplo fosse morrer de fome, eu poderia praticar o canibalismo como um ato extremo.
Mas esse é o tipo de situação que é impossível de se afirmar o que faríamos.

Rodrigo Freitas

De todos os presentes da Natureza para a raça humana, o que é mais doce para o homem do que as crianças? (Ernest Hemingway)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do Rodrigo Freitas
30/03/2017, 22:23
Resposta: #25
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
"Ressuscitando" tópico Piscada

Natureza Brasileira!!! Ontem, Hoje, Amanhã e Sempre!!!!
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do LEÃO DO MATO
31/03/2017, 13:14
Resposta: #26
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(24/07/2014 20:37)VM3 Escreveu:  Fala galera, tranquilo?

Recentemente temos comentado em alguns tópicos distintos acerca de situações extremas de sobrevivência e esse assunto me remeteu ao tema antropofagia. Antes de adentrar na ideia do tópico, é oportuno esclarecer o que vem a ser antropofagia...

Ultimamente, tenho visto pessoas de quem eu gostaria de "comer o fígado"... Ao mesmo tempo, vejo tanta gente ruim nesse mundo que me pergunto "se a carne deles presta"...

Ôh dilema infeliz... Confuso

Sds
Toscano VIX
"porque Deus amou o mundo, de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha a vida eterna" (João 3:16)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do Toscano
31/03/2017, 17:29 (Resposta editada pela última vez em: 31/03/2017 17:32 por Braulio Fadda.)
Resposta: #27
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
KKKKKKkk.... Mas falando serio, comer carne humana produz doença? Produz sim, e a verdade o corpo humano tem pouco para aproveitar. Podriamos começar pelo cérebro. Ele tem muitas proteínas, mas também tem uma alta concentração de proteínas chamadas "prions" presentes quem tem a doença da "vaca louca". Os olhos tem uma substancia aceda que pode causar doenças. Os interiores ou intestinos nem pensar em comer, ja que eles contem restos de alimentos em descomposição e aí a coisa ficar pior. O penis é muito espogoso e não tem proteínas. O único que ficaria seriam os músculos, eles tem vitaminas e proteínas. Agora, existe a possibilidade de doença ainda tomando as precauções, essa doença se chama "kuru".Entre os sintomas mais comuns do kuru estão tremores, crises histéricas de riso, fala embaralhada, paralisia muscular e dificuldade de engolir. A maioria dos pacientes morre no período de um ano depois da identificação dos sintomas.
Então, eu pensaria muito antes de colocar um troço na minha boca, como no filme "O livro de Elí", caçaria gatos....

...levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do Braulio Fadda
01/04/2017, 08:09
Resposta: #28
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Em situações extremas só o momento é que nos daria a resposta. Mas a minha opinião é "sim", eu não pensaria muitas vezes em virar um antropófago para me manter vivo. Em situações extremas a razão tem de imperar à emoção, moral e etc.

Desbravando sempre.
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 2 Membros Gostaram da Resposta do Expedicionário
01/04/2017, 09:33 (Resposta editada pela última vez em: 01/04/2017 09:38 por Toscano.)
Resposta: #29
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
O que eu já havia dito noutro tópico não tenho problemas em repetir aqui: não há nada que você não coma se estiver realmente faminto, especialmente se sua vida depender disso.
Nos episódios que conhecemos, em que numa situação de emergência um grupo decidiu alimentar-se de carne humana para sobreviverem, com certeza a ideia não surgiu de algum desequilibrado com tendências ao canibalismo. Tanto a ideia quanto a concordância surgiram de uma necessidade EXTREMA que existia.
Nesses momentos é que suas poucas opções te fazem focar só no que você tem. Feche o leque de opções até o ponto em que só te resta uma última e o seu foco vai se direcionar todinho para ela. O resultado você já sabe.

Sds
Toscano VIX
"porque Deus amou o mundo, de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha a vida eterna" (João 3:16)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
[+] 1 Membro Gostou da Resposta do Toscano
01/04/2017, 10:44 (Resposta editada pela última vez em: 01/04/2017 15:14 por Braulio Fadda.)
Resposta: #30
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
Agora, quais sao os limites, por exemplo, comer os mortos? e quando eles acabaram, matar os mais fracos, velhos, doentes e crianças? Sair a casar humanos? Estou me colocando numa situação apocalíptica, mas numa situação de desastre como o avião que caiu nos Andes é diferente ja que a pessoa espera resgate ou faz tudo o possível para ser resgatada onde poderiam comer os mortos e esperar o resgate ou esperar o melhor momento para sair a procurar ajuda ...
Agora numa situação de resgate onde não tem mortos para comer, suponhamos o avião lá nos Andes, ou que fazer, matar alguém? esperar alguém morir? Alguém pensou numa situação dessa?

...levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
01/04/2017, 22:25
Resposta: #31
RE: Antropofagia (Canibalismo): Moral X Necessidade
(01/04/2017 10:44)Braulio Fadda Escreveu:  Agora, quais sao os limites, por exemplo, comer os mortos? e quando eles acabaram, matar os mais fracos, velhos, doentes e crianças? Sair a casar humanos? Estou me colocando numa situação apocalíptica, mas numa situação de desastre como o avião que caiu nos Andes é diferente ja que a pessoa espera resgate ou faz tudo o possível para ser resgatada onde poderiam comer os mortos e esperar o resgate ou esperar o melhor momento para sair a procurar ajuda ...
Agora numa situação de resgate onde não tem mortos para comer, suponhamos o avião lá nos Andes, ou que fazer, matar alguém? esperar alguém morir? Alguém pensou numa situação dessa?

Ôpa! Aí a coisa muda completamente de figura.
Eu atingi o meu limite em comer carne humana na situação anterior: numa emergência EXTREMA, sem NENHUMA OUTRA OPÇÃO e com o indivíduo já morto naturalmente. Sem chance de admitir o assassinato de alguém para me alimentar dele.

Aliás, vou avisando logo a quem interesse: EU SOU INDIGESTO! Piscada

Sds
Toscano VIX
"porque Deus amou o mundo, de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha a vida eterna" (João 3:16)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Gostar da resposta Citar esta mensagem em uma resposta
Responder 


Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes