Bushcraft Brasil - Bushcraft, Sobrevivência e Aventura !

Versão Completa: Barro para picadas de insetos.
Você está atualmente visualizando uma versão simplificada do conteúdo. Visualizar a versão completa com formatação.
Páginas: 1 2
Pessoal,

Eu também não acreditei na primeira vez que assisti o Seu Osvaldo, meu fiel ajudante quinzenal, pegar um tanto de barro e lambuzar o local de uma picada de inseto.
Pensei: "veio doido"...
Recetemente estavamos limpando cipó de árvores, momento quando cortei um daqueles que grudam no tronco das árvores e me deparei com um formigueiro debaixo do cipó e fui picada por uma formiga.
Ferrou, ferrou e ferrou...uau!!!
Fui logo chamando pelo "véio doido": que diacho de formiga é esta? Está ferroando demais!
O "véio doido" foi logo jogando água na terra e produziu um barrinho: põe o barro que passa.
Sem outra alternativa para o momento, catei o barro do chão e enfiei em cima da picada.
Inacreditável, parou de ferroar na hora, alguns minutos depois já pude me livrar do barro e continuar normalmente os afazeres.
Mais inacreditável ainda, foi que mesmo sabendo e tendo visto o formigueiro, o "véio doido" conseguiu levar uma picada também, aí foi a vez dele gritar: "aí, parece picada de marimbondo!"
Dei muita risada e mandei ele passar o barro frequinho que ia aliviar na hora.
Depois conversando com minha vizinha, formada em Biologia e tentando entender o fundamento técnico do efeito do barro, a única resposta que obtive foi que os índios usam o barro para tudo, inclusive picada de cobra.
Fica aí a minha dica, quem duvidar da próxima vez que for picado por formiga "braba" no mato, faz um barrinho com a água do cantil e experimenta.
Gostaria muito de saber a opinião do Dambrós e de médicos membros do fórum, além dos demais amigos, é claro.
Abraços.
Teresa,
Obrigado pela dica do barro para diminuir o trauma causado pelas picadas de formigas.
Devidamente anotada no HD cerebral !
Vou perguntar para um "véio" mateiro que eu conheço sobre esse procedimento.
Abs.
(26/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Pessoal, o que vou escrever a seguir deve ser entendido por todos como pura hipótese, literalmente no campo da achologia!

Além da odontologia, minha profissão por formação acadêmica, outra coisa que é minha paixão é o manejo intensivo de pastagens tropicais, e para tanto tem que se conhecer um pouquinho de solos, química de solos e interações químicas, fundamentais na análise e correção dos mesmos para altas produções de forragens.

Pois bem, uma fração importante dos solos e de especial relevância em termos de manejo de solos e de forrageiras é a fração argila dos solos, por uma série de fatores, mas basicamente pela CTC, que é a capacidade de troca catiônica, além claro do potencial de retenção de água, que também acaba estando relacionada à estas interações iônicas.

Em solos tropicais como os nossos, altamente intemperizados, as argilas predominantes são do tipo 1:1 e basicamente as caulinitas, que infelizmente têm baixo potencial de CTC pela sua própria estrutura fisico-química, e por isso é mais comum se confiar na matéria orgânica do solo para realizar mais eficazmente esta função de CTC e retenção de água.

Mas ainda assim, apesar do baixo potencial as caulinitas apresentam sim capacidade de CTC e em algumas regiões e em dados tipos de solos há ocorrência de um outro tipo de argila, do grupo das bentonitas que têm potencial de CTC até 10 vezes superiores às caulinitas.

Cabral, mas por que de toda esta divagação sobre solos? Por um motivo muito simples: a capacidade das argilas ( como vimos umas mais que outras ) de apresentarem propriedades adsorcivas e absorcivas.

Ora, quando falamos em reações a picadas de insetos estamos basicamente falando de interações bioquímicas entre a toxina presente e o organismo exposto à ela! E via de regra estes processos se iniciam como reações inflamatórias, onde 3 elementos especialmente reagentes com as argilas estão presentes e na forma iônica: Ca++, Na+ e K+!!!

O que nos leva a outro ponto também importante envolvido nestas reações: alteração de ph, com o processo inflamatório baixando o ph. Então outro mecanismo de ação das argilas poderia ser elevação ou alcalinização deste ph via adsorção iônica dos íons já citados.

Se os amigos estão acostumados com o Cabral falando de mícrons para se referir ao fio de lâminas, quando tratamos de argilas estamos falando de nanômetros, com elas sendo normalmente inferiores a 200 nanômetros ou cerca de 0,2 mícron.

Ou seja, pelo tamanho de partícula estas argilas podem perfeitamente transpor a barreira da pele por atração iônica e se ligarem aos íons citados e pelas interações e alterações químicas locais levarem aos casos citados de alívio dos sintomas oriundos de picadas de insetos.

Resumindo então, as argilas teriam 3 propriedades que poderiam estar atuando no "processo de melhora" do quadro toxicológico local das picadas, notadamente na inflamação inicial e até na neutralização até certo ponto das toxinas envolvidas: capacidade de adsorção, absorção e troca catiônica.

Ah, e antes que eu me esqueça, no caso das bentonitas por exemplo um fator preponderante na sua alta reatividade é sua área de superfície, e para terem uma idéia, apenas 1 g pode chegar a ter uma área total de superfície de até 800 metros quadrados.

Então friso novamente que esta é uma hipótese minha do porque o "barro" cuja base são as argilas seria eficiente na minimização dos efeitos de algumas picadas de insetos ( vale sempre ressaltar que estamos lidando aqui com volumes muito pequenos de toxinas ).

Mas sempre fazendo o alerta que isto não é panaceia universal, pois alguns venenos tem suas toxinas básicas como alcalóides, onde o efeito das argilas seria praticamente nulo. Vide como exemplo claro disso as "queimaduras" por celenterados ( águas-vivas ) onde o neutralizante tópico de aplicação imediata ideal é o vinagre!

Os amigos médicos, bioquímicos e é claro agrônomos podem me contradizer caso a hipótese seja muito absurda.Manhoso

Abraços

Suas colocações tem lógica Cabral.
Obrigado pelas informações.
Quanto aos celenterados, o neutralizante natural e imediato que você pode ter em mãos, em qualquer situação, é a urina.
Comprovadamente testada na minha perna após um incidente em um mergulho. E também serve para tratar "queimaduras" por nudibrânquios e coral de fogo.
Após o contato, alguns nematocistos ainda podem estar aderidos na pele, mas sem estarem inoculados nela.
A urina (ou mesmo vinagre) faz que as cnidas fiquem inertes, abortando o processo de novas inoculações.
Após a "aplicação" da urina, recomenda-se passar um aparelho de barbear na área atingida, para eliminar todos os nematocistos.
Abs.
Grande dica Teresa, em minhas pescarias picadas de insetos são algo comum, vou testar esse barrinho !
Aprendí a usar barro ou lama em picadas de insetos, quando eu ainda era criança, com meu tio que me levou desde cedo para as pescarias e as vezes, acontecia de levar uma ou mais ferroadas de formigas ou marimbondos.
Na ninha opinião de leigo no assunto, penso que o resfriamento na pele quando se aplica a lama cause uma sensação de conforto provocado pela ferroada do inseto, diminuindo o inchaço e, talvez, até ajude a drenar parte do veneno.
Também já usei a folha da pata-de-vaca com sucesso para diminuir a dor e inchação provocada por uma ferroada de marimbondo. A folha deve ser esmagada e misturada com um pouquinho de água para ficar umedecida e formar uma pasta.
A parte da raiz do cipó mil-homens também pode ser usada para o mesmo propósito mas nunca testei para comprovar o que me foi ensinado.

Como nem sempre trazemos conosco todos os tipos de remédios em nossos KPS (kits de primeiros socorros) procuro usar o que aprendí com os "antigos" e livros sobre o assunto para tratar ou diminuir o efeito de uma picada ou ferroada de algum inseto.
Já utilizei muito o barro nas pernas e braços para prevenir contra picadas de mosquitos, porém, o visual não fica dos melhores, rsrs.
Obrigado, Teresa, pelo tópico interessante e ao Hélio pelas ótimas teorias.
Bom Teresa, depois dessa aula do Helio eu não tenho nada a comentar.

Na verdade nunca ouvi a respeito disso, mas achei muito interessante e vou até deixar umas formigas me picarem no próximo campo pra testar a ideia. rsrsrs

Obrigado pelo depoimento. Eu sempre digo, esse fórum é uma escola mesmo, sempre estou aprendendo algo novo.

O cipó que o José Carlos citou tem propriedade analgésicas, isso explica melhor pra mim pq funciona no alívio da dor.

Abraço.
Caramba, nem lembrava mais disso... quando eu tinha uns 5 anos, fui ferroado por uma abelha na casa de um vizinho, que imediatamente pegou um pouquinho de barro e colocou no lugar da ferroada. Alívio imediato!! Durante muito tempo usei isso, mas depois acabei me esquecendo. Foi legal relembrar isso, valeu pessoal.
O uso da argila realmente é bem vasto por tudo que li até hoje, inclusive quando utilizada com carvão, certa vez vi um documentário aonde uma criança indígena foi picada por uma cobra na aldeia e o medicamento foi barro com carvão no local da picada, rapidamente o curandeiro fez um montinho de barro, esfarelou um pouco de carvão, passou no pilão manual e colocou no local da picada, sabemos que depois que o veneno escoa pela corrente sanguínea não adianta mais porém a aplicação foi imediata visando justamente diminuir a quantidade de veneno que cairia na corrente sanguínea do acidentado, as propriedades do carvão em absorver substâncias já são bem conhecidas e se juntando com a argila faz todo sentido.

Sobre a urina, só sei que para ferroada de mandi realmente funciona hehe já comentamos isso em um tópico por esses tempos.
Bacana demais a dica Teresa! e muito bem embasada pelo amigo Cabral. Eu sabia da casca de banana quanto ao alívio de picadas, quanto ao barro....mais uma dica para lembrar.
(26/10/2013 22:18)Saymon Escreveu: [ -> ]Bacana demais a dica Teresa! e muito bem embasada pelo amigo Cabral. Eu sabia da casca de banana quanto ao alívio de picadas, quanto ao barro....mais uma dica para lembrar.

Saymom, casca de banana serve para acabar com verrugas também...
Saymon, da uma explicada melhor nessa da casca de banana, nem que for em outro tópico, não me lembro de conhecer essa técnica mas as bananas são comuns em vários ambientes aqui no Brasil, seria algo bem útil.
(26/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Pessoal, o que vou escrever a seguir deve ser entendido por todos como pura hipótese, literalmente no campo da achologia!

Além da odontologia, minha profissão por formação acadêmica, outra coisa que é minha paixão é o manejo intensivo de pastagens tropicais, e para tanto tem que se conhecer um pouquinho de solos, química de solos e interações químicas, fundamentais na análise e correção dos mesmos para altas produções de forragens.

Pois bem, uma fração importante dos solos e de especial relevância em termos de manejo de solos e de forrageiras é a fração argila dos solos, por uma série de fatores, mas basicamente pela CTC, que é a capacidade de troca catiônica, além claro do potencial de retenção de água, que também acaba estando relacionada à estas interações iônicas.

Em solos tropicais como os nossos, altamente intemperizados, as argilas predominantes são do tipo 1:1 e basicamente as caulinitas, que infelizmente têm baixo potencial de CTC pela sua própria estrutura fisico-química, e por isso é mais comum se confiar na matéria orgânica do solo para realizar mais eficazmente esta função de CTC e retenção de água.

Mas ainda assim, apesar do baixo potencial as caulinitas apresentam sim capacidade de CTC e em algumas regiões e em dados tipos de solos há ocorrência de um outro tipo de argila, do grupo das bentonitas que têm potencial de CTC até 10 vezes superiores às caulinitas.

Cabral, mas por que de toda esta divagação sobre solos? Por um motivo muito simples: a capacidade das argilas ( como vimos umas mais que outras ) de apresentarem propriedades adsorcivas e absorcivas.

Ora, quando falamos em reações a picadas de insetos estamos basicamente falando de interações bioquímicas entre a toxina presente e o organismo exposto à ela! E via de regra estes processos se iniciam como reações inflamatórias, onde 3 elementos especialmente reagentes com as argilas estão presentes e na forma iônica: Ca++, Na+ e K+!!!

O que nos leva a outro ponto também importante envolvido nestas reações: alteração de ph, com o processo inflamatório baixando o ph. Então outro mecanismo de ação das argilas poderia ser elevação ou alcalinização deste ph via adsorção iônica dos íons já citados.

Se os amigos estão acostumados com o Cabral falando de mícrons para se referir ao fio de lâminas, quando tratamos de argilas estamos falando de nanômetros, com elas sendo normalmente inferiores a 200 nanômetros ou cerca de 0,2 mícron.

Ou seja, pelo tamanho de partícula estas argilas podem perfeitamente transpor a barreira da pele por atração iônica e se ligarem aos íons citados e pelas interações e alterações químicas locais levarem aos casos citados de alívio dos sintomas oriundos de picadas de insetos.

Resumindo então, as argilas teriam 3 propriedades que poderiam estar atuando no "processo de melhora" do quadro toxicológico local das picadas, notadamente na inflamação inicial e até na neutralização até certo ponto das toxinas envolvidas: capacidade de adsorção, absorção e troca catiônica.

Ah, e antes que eu me esqueça, no caso das bentonitas por exemplo um fator preponderante na sua alta reatividade é sua área de superfície, e para terem uma idéia, apenas 1 g pode chegar a ter uma área total de superfície de até 800 metros quadrados.

Então friso novamente que esta é uma hipótese minha do porque o "barro" cuja base são as argilas seria eficiente na minimização dos efeitos de algumas picadas de insetos ( vale sempre ressaltar que estamos lidando aqui com volumes muito pequenos de toxinas ).

Mas sempre fazendo o alerta que isto não é panaceia universal, pois alguns venenos tem suas toxinas básicas como alcalóides, onde o efeito das argilas seria praticamente nulo. Vide como exemplo claro disso as "queimaduras" por celenterados ( águas-vivas ) onde o neutralizante tópico de aplicação imediata ideal é o vinagre!

Os amigos médicos, bioquímicos e é claro agrônomos podem me contradizer caso a hipótese seja muito absurda.Manhoso

Abraços
Caramba Helio, que aula.
Mostrei para minha vizinha sua resposta: além de me ajudar a entender alguns termos técnicos, ela concordou e adorou seu texto.
Obrigada por sua explanação.
(26/10/2013 08:56)Noinha Escreveu: [ -> ]Teresa,
Obrigado pela dica do barro para diminuir o trauma causado pelas picadas de formigas.
Devidamente anotada no HD cerebral !
Vou perguntar para um "véio" mateiro que eu conheço sobre esse procedimento.
Abs.

Valeu Noinha, não deixe de postar o parecer dele.
Abração
(26/10/2013 10:29)Colognese Escreveu: [ -> ]Grande dica Teresa, em minhas pescarias picadas de insetos são algo comum, vou testar esse barrinho !
Depois me conta como foi.
Abração
(26/10/2013 16:34)TueriNatura Escreveu: [ -> ]Aprendí a usar barro ou lama em picadas de insetos, quando eu ainda era criança, com meu tio que me levou desde cedo para as pescarias e as vezes, acontecia de levar uma ou mais ferroadas de formigas ou marimbondos.
Na ninha opinião de leigo no assunto, penso que o resfriamento na pele quando se aplica a lama cause uma sensação de conforto provocado pela ferroada do inseto, diminuindo o inchaço e, talvez, até ajude a drenar parte do veneno.
Também já usei a folha da pata-de-vaca com sucesso para diminuir a dor e inchação provocada por uma ferroada de marimbondo. A folha deve ser esmagada e misturada com um pouquinho de água para ficar umedecida e formar uma pasta.
A parte da raiz do cipó mil-homens também pode ser usada para o mesmo propósito mas nunca testei para comprovar o que me foi ensinado.

Como nem sempre trazemos conosco todos os tipos de remédios em nossos KPS (kits de primeiros socorros) procuro usar o que aprendí com os "antigos" e livros sobre o assunto para tratar ou diminuir o efeito de uma picada ou ferroada de algum inseto.
Já utilizei muito o barro nas pernas e braços para prevenir contra picadas de mosquitos, porém, o visual não fica dos melhores, rsrs.
Obrigado, Teresa, pelo tópico interessante e ao Hélio pelas ótimas teorias.

José Carlos, pensei que o "veio doido" fosse o único a usar esta técnica.
Veja como o Fórum é enriquecedor: acabei de aprender que o barro previne contra picadas de mosquitos (quando se está na beira da água eles tiram a gente do sério).
A folha da pata de vaca que você se refere é de uma árvore que leva este nome, fica enorme e tem flores cor de rosa?
Obrigada pela sua contribuição.
Grande abraço.
Citar:José Carlos, pensei que o "veio doido" fosse o único a usar esta técnica.
Veja como o Fórum é enriquecedor: acabei de aprender que o barro previne contra picadas de mosquitos (quando se está na beira da água eles tiram a gente do sério).
A folha da pata de vaca que você se refere é de uma árvore que leva este nome, fica enorme e tem flores cor de rosa?
Obrigada pela sua contribuição.
Grande abraço.

Teresa, a árvore tem o mesmo nome e é de tamanho médio. Não me lembro das flores pois sempre a identifiquei pelas folhas que, como o nome diz, parece uma pata de vaca.
Tinhamos uma no fundo do quintal em Petrópolis e minha mãe usava a folha, aquecida ao fogo com um pouquinho de azeite, para drenar furúnculos, que hoje quase não se vê mais.

[Imagem: 2mgo6z6.jpg]

Quase todos nós que vivemos no interior, em cidades pequenas temos um "véio" contador de prosa e entendido dos segredos da flora e fauna da região
Esse aqui, que já se foi há muitos anos, figura notória na cidade e que, apesar de estar sempre bêbado, me ensinou a colher mel de abelha cachorro entre outras coisas.

[Imagem: 2cyp45l.jpg]
(27/10/2013 00:57)fry Escreveu: [ -> ]Saymon, da uma explicada melhor nessa da casca de banana, nem que for em outro tópico, não me lembro de conhecer essa técnica mas as bananas são comuns em vários ambientes aqui no Brasil, seria algo bem útil.

Ou Fry, eu lí uma vez isso em um antigo manual de escotismo, que segundo este manual friccionar a parte interna da casca de banana sobre uma ferroada auxilia no alívio dela..Inclusive procurando mais sobre o assunto achei esta página com dicas bem bacanas..Vale a pena ler!

http://pt.wikihow.com/Fazer-a-Picada-de-...Co%C3%A7ar
(26/10/2013 17:37)Dambrós Escreveu: [ -> ]Bom Teresa, depois dessa aula do Helio eu não tenho nada a comentar.

Na verdade nunca ouvi a respeito disso, mas achei muito interessante e vou até deixar umas formigas me picarem no próximo campo pra testar a ideia. rsrsrs

Obrigado pelo depoimento. Eu sempre digo, esse fórum é uma escola mesmo, sempre estou aprendendo algo novo.

O cipó que o José Carlos citou tem propriedade analgésicas, isso explica melhor pra mim pq funciona no alívio da dor.

Abraço.

Caramba Dambrós, não deixe as formigas te picarem de propósito...kkk
Tem ferroada e ferroadinha de formiga.
Aliás, ultimamente ando me sentindo a rainha das picadas... acredita que fui comer uma amora no pé e comi junto um inseto que picou minha lingua...kkk aí eu aguentei firme, barro na lingua não dá.
Obrigada por sua explicação sobre o cipó.

Abração
(26/10/2013 21:14)zadoreski Escreveu: [ -> ]Caramba, nem lembrava mais disso... quando eu tinha uns 5 anos, fui ferroado por uma abelha na casa de um vizinho, que imediatamente pegou um pouquinho de barro e colocou no lugar da ferroada. Alívio imediato!! Durante muito tempo usei isso, mas depois acabei me esquecendo. Foi legal relembrar isso, valeu pessoal.

Legal saber que o barro também serve para ferroada de abelha.
Obrigada por sua participação.
Abraço.

Teresa
(26/10/2013 21:35)fry Escreveu: [ -> ]O uso da argila realmente é bem vasto por tudo que li até hoje, inclusive quando utilizada com carvão, certa vez vi um documentário aonde uma criança indígena foi picada por uma cobra na aldeia e o medicamento foi barro com carvão no local da picada, rapidamente o curandeiro fez um montinho de barro, esfarelou um pouco de carvão, passou no pilão manual e colocou no local da picada, sabemos que depois que o veneno escoa pela corrente sanguínea não adianta mais porém a aplicação foi imediata visando justamente diminuir a quantidade de veneno que cairia na corrente sanguínea do acidentado, as propriedades do carvão em absorver substâncias já são bem conhecidas e se juntando com a argila faz todo sentido.

Sobre a urina, só sei que para ferroada de mandi realmente funciona hehe já comentamos isso em um tópico por esses tempos.

Obrigada Fry por enriquecer o tópico comentando sobre as propriedades do carvão em absorver substâncias. Vou pesquisar sobre este assunto do qual sei pouco.

Abraço.

Teresa
(26/10/2013 22:18)Saymon Escreveu: [ -> ]Bacana demais a dica Teresa! e muito bem embasada pelo amigo Cabral. Eu sabia da casca de banana quanto ao alívio de picadas, quanto ao barro....mais uma dica para lembrar.
Obrigada.
O melhor de tudo é que estou aprendendo muito com todos os comentários!
Abraço.

Teresa
(26/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Pessoal, o que vou escrever a seguir deve ser entendido por todos como pura hipótese, literalmente no campo da achologia!

Além da odontologia, minha profissão por formação acadêmica, outra coisa que é minha paixão é o manejo intensivo de pastagens tropicais, e para tanto tem que se conhecer um pouquinho de solos, química de solos e interações químicas, fundamentais na análise e correção dos mesmos para altas produções de forragens.

Pois bem, uma fração importante dos solos e de especial relevância em termos de manejo de solos e de forrageiras é a fração argila dos solos, por uma série de fatores, mas basicamente pela CTC, que é a capacidade de troca catiônica, além claro do potencial de retenção de água, que também acaba estando relacionada à estas interações iônicas.

Em solos tropicais como os nossos, altamente intemperizados, as argilas predominantes são do tipo 1:1 e basicamente as caulinitas, que infelizmente têm baixo potencial de CTC pela sua própria estrutura fisico-química, e por isso é mais comum se confiar na matéria orgânica do solo para realizar mais eficazmente esta função de CTC e retenção de água.

Mas ainda assim, apesar do baixo potencial as caulinitas apresentam sim capacidade de CTC e em algumas regiões e em dados tipos de solos há ocorrência de um outro tipo de argila, do grupo das bentonitas que têm potencial de CTC até 10 vezes superiores às caulinitas.

Cabral, mas por que de toda esta divagação sobre solos? Por um motivo muito simples: a capacidade das argilas ( como vimos umas mais que outras ) de apresentarem propriedades adsorcivas e absorcivas.

Ora, quando falamos em reações a picadas de insetos estamos basicamente falando de interações bioquímicas entre a toxina presente e o organismo exposto à ela! E via de regra estes processos se iniciam como reações inflamatórias, onde 3 elementos especialmente reagentes com as argilas estão presentes e na forma iônica: Ca++, Na+ e K+!!!

O que nos leva a outro ponto também importante envolvido nestas reações: alteração de ph, com o processo inflamatório baixando o ph. Então outro mecanismo de ação das argilas poderia ser elevação ou alcalinização deste ph via adsorção iônica dos íons já citados.

Se os amigos estão acostumados com o Cabral falando de mícrons para se referir ao fio de lâminas, quando tratamos de argilas estamos falando de nanômetros, com elas sendo normalmente inferiores a 200 nanômetros ou cerca de 0,2 mícron.

Ou seja, pelo tamanho de partícula estas argilas podem perfeitamente transpor a barreira da pele por atração iônica e se ligarem aos íons citados e pelas interações e alterações químicas locais levarem aos casos citados de alívio dos sintomas oriundos de picadas de insetos.

Resumindo então, as argilas teriam 3 propriedades que poderiam estar atuando no "processo de melhora" do quadro toxicológico local das picadas, notadamente na inflamação inicial e até na neutralização até certo ponto das toxinas envolvidas: capacidade de adsorção, absorção e troca catiônica.

Ah, e antes que eu me esqueça, no caso das bentonitas por exemplo um fator preponderante na sua alta reatividade é sua área de superfície, e para terem uma idéia, apenas 1 g pode chegar a ter uma área total de superfície de até 800 metros quadrados.

Então friso novamente que esta é uma hipótese minha do porque o "barro" cuja base são as argilas seria eficiente na minimização dos efeitos de algumas picadas de insetos ( vale sempre ressaltar que estamos lidando aqui com volumes muito pequenos de toxinas ).

Mas sempre fazendo o alerta que isto não é panaceia universal, pois alguns venenos tem suas toxinas básicas como alcalóides, onde o efeito das argilas seria praticamente nulo. Vide como exemplo claro disso as "queimaduras" por celenterados ( águas-vivas ) onde o neutralizante tópico de aplicação imediata ideal é o vinagre!

Os amigos médicos, bioquímicos e é claro agrônomos podem me contradizer caso a hipótese seja muito absurda.Manhoso

Abraços

Helio,
Pela explanação que você fez, demonstrando entender muito do assunto; me dê sua opinião sobre a eficiência ou não do barro no quesito queimadura por contato com taturana.
Não sei se você sabe, mas moro em uma chácara com muita área verde e tanta área verde assim cobra seu preço: formiga, carrapato, taturana, gambá, etc.
Tempos atrás, mexendo com as plantas uma taturana passou no vão de 2 dedos meus.
Queimou por mais de 4 horas seguidas de uma forma absurdamente dolorosa.
Obrigada.

Teresa
(27/10/2013 14:40)Saymon Escreveu: [ -> ]
(27/10/2013 00:57)fry Escreveu: [ -> ]Saymon, da uma explicada melhor nessa da casca de banana, nem que for em outro tópico, não me lembro de conhecer essa técnica mas as bananas são comuns em vários ambientes aqui no Brasil, seria algo bem útil.

Ou Fry, eu lí uma vez isso em um antigo manual de escotismo, que segundo este manual friccionar a parte interna da casca de banana sobre uma ferroada auxilia no alívio dela..Inclusive procurando mais sobre o assunto achei esta página com dicas bem bacanas..Vale a pena ler!

http://pt.wikihow.com/Fazer-a-Picada-de-...Co%C3%A7ar

Saymon, muito legal sua indicação da pagina com dicas.
Gostei especialmente das dicas da aspirina, do creme dental, do desodorante, do limão, da banana e do Vick.
A maioria destes itens estaria conosco em campo, seja na parte de alimentação, Kit higiene e primeiros socorros, tornando- os multifuncionais.
Eu não me separo de uma latinha de Vick seja em casa, em ambiente urbano ou no campo. A danadinha parece bom bril com 1001 utilidades: rachadura nos lábios, poderoso hidratante para recuperação de rachadura nos dedos, mais eficiênte que a vaselina com algodão para início de fogo e agora para também para picada de mosquito.
Obrigada pela sua colaboração.

Abraço.

Teresa
(28/10/2013 07:28)teblasi Escreveu: [ -> ]Helio,
Pela explanação que você fez, demonstrando entender muito do assunto; me dê sua opinião sobre a eficiência ou não do barro no quesito queimadura por contato com taturana.
Não sei se você sabe, mas moro em uma chácara com muita área verde e tanta área verde assim cobra seu preço: formiga, carrapato, taturana, gambá, etc.
Tempos atrás, mexendo com as plantas uma taturana passou no vão de 2 dedos meus.
Queimou por mais de 4 horas seguidas de uma forma absurdamente dolorosa.
Obrigada.

Teresa

Bom Dia Teresa,
Vou entrar aqui na pergunta que você fêz ao Helio a respeito das taturanas e quem eu, quando crianca chamava de "bicho cabeludo", e vou repostar o que respondí nesse outro tópico:

http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...t=taturana

"Eu aprendí, quando era menino, um remédio caseiro para as queimaduras das taturanas. Não sei se serve para todas as espécies pois somente testei nas pretas que são mais comuns e em uma espécie bem verdinha. Por incrível que pareça, dois acidentes, um comigo e outro com a minha irmã foi tratado com as próprias entranhas da taturana.
Minha mãe esmagou as bichinhas e passou as entranhas em cima da queimadura e foi quase como se tivesse tomado uma anestesia pois a dor passou em questão de minutos e não tivemos nenhum outro efeito como marcas ou inchações.
Mais uma vêz, não sei se funcionará para todos os tipos de taturanas, mas certamente funcionou no nosso caso."
(28/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Teresa,

Não tenho experiência com queimadura de lagarta, mas é uma queimadura química e sobre este tema, foi até bom você ter questionado pois eu estava para fazer um post sobre e aproveito o gancho.

Para queimaduras de por altas temperaturas, quer seja óleo, materiais aquecidos ( panelas, tabuleiros, etc ) ou contato com aço incandescente ( forja, solda, etc ) e queimadura química ( no caso em questão foi com ácido sulfúrico ) uma coisa que usamos há décadas aqui em casa é a babosa.

Idealmente usar uma folha mais velha, quando ela está "apontando para baixo", ou seja, quando ela se apresenta "vergada" em direção ao solo.

E são dois os procedimentos. Se a pessoa for alérgica aos glicosídeos mais ativos, que são aquele líquido mais amarelado de sabor intensamente amargo ( basta testar na pele e ver se não causa reação alérgica, que não é comum mas pode acontecer em pessoas com hipersensibilidade ), cortar a ponta da folha e deixar a parte cortada para baixo até drenar o excesso, então cortar um pedaço, remover a casca fibrosa ( externa ) e usar o "gel" ( interior gelatinoso, transparente ) sobre o local afetado.

Pode ser somente "aplicado" passando o "gel" e esperando secar aquela camada inicial e reaplicando assim que secar, mais uma ou duas vezes. Ou pode-se fazer uma "compressa" com o "gel", fixando-o com uma gaze ou pano limpo.

Em quem não for alérgico recomendo apenas cortar a ponta da folha e aplicar sobre o local afetado espremendo a porção final, indo junto a porção glicosídica ( amarelada e amarga ) pois ela tem efeito antisséptico acentuado e anti-inflamatório. Aplicar uma camada, esperar secar e reaplicar e assim proceder durante o dia.

O alívio da sensação de ardência é quase imediato, e o melhor de tudo, a mitigação dos efeitos da queimadura! Queimaduras que normalmente causariam intensa dor e bolhas, podem sequer apresentar bolhas ou se o fizerem é em menor grau e sempre na ausência de ardência.

A pele queimada perde suas caracteristicas de permeabilidade e sua função de barreira protetora contra microorganismos. A babosa além de ter potente ação antisséptica, hidrata o local, forma uma película semi-permeável protetora além de seus vários compostos estimularem a reparação celular/tecidual.

Se a folha ou parte dela cortada for maior, pode-se simplesmente ir cortando a ponta e aplicando no local e colocar um papel filme na extremidade cortada e guardar na geladeira para quando for novamente necessário; dura meses!

Cerca de 2 meses atrás, resolvi limpar uma pia antiga que estava muito manchada com limalha de aço ( ferrugem ), então apliquei com um pincel ácido sulfúrico e um pouco escorreu no meu dedo ( sim, a anta aqui mesmo com centenas de pares de luvas de procedimento à mão, estava sem usar nenhuma ) e não enxaguei imediatamente para não molhar a pia. Me levantei calmamente e me dirigi à outra pia para lavar a mão, já que não apresentava nenhuma ardência...

Quando fui colocar o dedo sob a água, fiquei impressionado pois parecia efeito visual de filme, a porção medial da falange distal, porção afetada, estava com um aspecto de grande edema mas ao mesmo tempo como se estivesse "enrugada" como acontece com longa exposição à água. Havia ocorrido nítido dano celular e tecidual com estravasamento de exudato celular para o interstício dos tecidos e havia uma sensação de aspereza como se fosse uma lixa e ai começou uma sensação de calor e ardência.

Cortei uma ponta de uma folha de babosa e apliquei no local, reaplicando mais 2 ou 3 vezes após seca cada camada. Até para minha surpresa, com menos de 2 horas o local não apresentava mais o "enrugado" e nem o edema, tendo ficado apenas avermelhado e com a nítida diminuição da sensação tátil, sinal inequívoco da "queima" das terminações nervosas, mas absolutamente nenhuma ardência ou dor.

Com o passar de poucos dias a recuperação foi total, apresentando apenas uma descamação da pele como quando se vai à praia, mas absolutamente nenhum desconforto, e com a nova pele por baixo já se apresentando com algum nível de queratinização sem ser aquela pele "fina, avermelhada e sensível".

Sinto não ter respondido sua questão principal, pois de qualquer forma queimadura por taturanas se não souber diferencias as espécies deve sempre ser encarada como acidente grave e se dirigir imediatamente à uma unidade de tratamento médico, pois algumas delas podem ser fatais em casos extremos ( preferencialmente levar a taturana junto para identificação da espécie e a necessidade ou não de maior suporte específico)!

Aqui uma foto da perigosa Lonomia obliqua que é a que causa os acidentes potencialmente graves:

[Imagem: wilv8w.jpg]

No caso das taturanas comuns, menos perigosas, acho que lavar o local com água e sabão se possível usando uma esponja fina para remover as espículas ( pêlos ) e aplicar a babosa deve dar alívio como no caso das demais queimaduras e claro, sendo possível, capturar a taturana e ir à uma unidade de saúde.

Abraço

Babosa é um remédio pra muita coisa mesmo! Só não aprovei pra clavície..hehehe. Ouví dizer que para queimaduras com ácido sulfurico o vinagre se sai bem também...o velho esquema químico de ácido anular base, mas como nunca me queimei com ácido ( e nem quero) não testei...
(28/10/2013 08:31)TueriNatura Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 07:28)teblasi Escreveu: [ -> ]Helio,
Pela explanação que você fez, demonstrando entender muito do assunto; me dê sua opinião sobre a eficiência ou não do barro no quesito queimadura por contato com taturana.
Não sei se você sabe, mas moro em uma chácara com muita área verde e tanta área verde assim cobra seu preço: formiga, carrapato, taturana, gambá, etc.
Tempos atrás, mexendo com as plantas uma taturana passou no vão de 2 dedos meus.
Queimou por mais de 4 horas seguidas de uma forma absurdamente dolorosa.
Obrigada.

Teresa

Bom Dia Teresa,
Vou entrar aqui na pergunta que você fêz ao Helio a respeito das taturanas e quem eu, quando crianca chamava de "bicho cabeludo", e vou repostar o que respondí nesse outro tópico:

http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...t=taturana

"Eu aprendí, quando era menino, um remédio caseiro para as queimaduras das taturanas. Não sei se serve para todas as espécies pois somente testei nas pretas que são mais comuns e em uma espécie bem verdinha. Por incrível que pareça, dois acidentes, um comigo e outro com a minha irmã foi tratado com as próprias entranhas da taturana.
Minha mãe esmagou as bichinhas e passou as entranhas em cima da queimadura e foi quase como se tivesse tomado uma anestesia pois a dor passou em questão de minutos e não tivemos nenhum outro efeito como marcas ou inchações.
Mais uma vêz, não sei se funcionará para todos os tipos de taturanas, mas certamente funcionou no nosso caso."

Já ouví muito sobre isso, sobre o efeito poderoso das entranhas da lagarta contra sua queimadura....
Buenas pessoal,
contribuindo com o debate, quando pequeno fui picado por uma aranha e não dei bola, algumas horas depois minha perna virou um inchaço só. Minha madrasta utilizou uma rodela de batata inglesa no local da picada (talvez seja tradição alemã já que ela é descendente germânica), e enfaixou pra ficar pressionando o ferimento.Segundo ela era pra "puxar" o veneno. Deu mais que certo, no fim do dia parecia novo em folha.
O que me deixou curioso depois de ler os posts deste tópico, foi que alguns dos amigos aqui do blog relataram que a eficácia destes procedimentos "caseiros" se dá pela rápida aplicação do emplastro no local, mas me recordo que naquela ocasião demorei a buscar auxílio. Teria alguma coisa de especial nas batatas (além das fritas é claro, hehehe)?
Abraço.
(28/10/2013 08:31)TueriNatura Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 07:28)teblasi Escreveu: [ -> ]Helio,
Pela explanação que você fez, demonstrando entender muito do assunto; me dê sua opinião sobre a eficiência ou não do barro no quesito queimadura por contato com taturana.
Não sei se você sabe, mas moro em uma chácara com muita área verde e tanta área verde assim cobra seu preço: formiga, carrapato, taturana, gambá, etc.
Tempos atrás, mexendo com as plantas uma taturana passou no vão de 2 dedos meus.
Queimou por mais de 4 horas seguidas de uma forma absurdamente dolorosa.
Obrigada.

Teresa

Bom Dia Teresa,
Vou entrar aqui na pergunta que você fêz ao Helio a respeito das taturanas e quem eu, quando crianca chamava de "bicho cabeludo", e vou repostar o que respondí nesse outro tópico:

http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...t=taturana

"Eu aprendí, quando era menino, um remédio caseiro para as queimaduras das taturanas. Não sei se serve para todas as espécies pois somente testei nas pretas que são mais comuns e em uma espécie bem verdinha. Por incrível que pareça, dois acidentes, um comigo e outro com a minha irmã foi tratado com as próprias entranhas da taturana.
Minha mãe esmagou as bichinhas e passou as entranhas em cima da queimadura e foi quase como se tivesse tomado uma anestesia pois a dor passou em questão de minutos e não tivemos nenhum outro efeito como marcas ou inchações.
Mais uma vêz, não sei se funcionará para todos os tipos de taturanas, mas certamente funcionou no nosso caso."

José Carlos, muito obrigada pela resposta.
Esta estação é a época das taturanas, tenho encontrado várias na chacara e matado para evitar acidentes.
Mas tenha a certeza que se alguma me pegar vou experimentar sua técnica.
Penso que a sabedoria dos "antigos" deve ser resgatada, pois eles não contavam com os recursos de medicação que contamos hoje.
Recursos estes em alguns casos, caracterizados por puro interesse da industria farmaceutica.
Cito como exemplo o uso de enxofre com óleo de cozinha para micose e sarna nos cães.
Aprendi esta lição há muito anos atrás, após ter aplicado vários medicamentos industrializados com orientação veterinária sem sucesso; a cachorra continuava com uma micose que fazia cair o pelo em algumas áreas.
Um amigo, criador de cachorros me passou a dica do enxofre, prevenindo para não deixar cair nos olhos, pois cegava o cachorro.
O sucesso foi ótimo e nunca mais usei medicação industrializada para este tipo de problema.
Várias vezes na lida com os bichinhos peguei sarna e micose deles (não devo ter lavado as mãos corretamente após lidar com eles).
Não tive dúvida: usei em mim a mesma medicação com sucesso absoluto.
Atualmente estou uma na fase de pegar carrapato, tive cachorrinha operada que a noite teve queda de temperatura e eu a coloquei na cama comigo para aquecê-la e preservar sua vida.
Não percebi que o interior da orelha dela estava forrado de carrapato.
Nesta única noite se soltaram algumas fêmeas de seu ouvido e infestaram minha cama e o quarto.
Logo no começo fui atacada por uma coceira terrível, sem causa aparente.
Desesperada passei enxofre com óleo de cozinha em todos os locais que coçavam.
Posteriormente descobri a infestação de carrapato, mas para meu espanto em todos os locais onde eu tinha passado o enxofre os 13 filhotinhos de carrapato estavam grudados na minha pele mortos.
Descobri sem querer que enxofre com óleo de cozinha também mata carrapato.
De lá para cá, já retirei 44 carrapatos do meu corpo.
Desinfetei o quarto por 4 vezes com tudo que conheço para acabar com surto de carrapato em cachorro: Triatox (2 vezes) vaporizador e por último sapequei paredes e chão com a vassoura de fogo.
Mesmo após todos estes procedimentos ainda peguei mais 6 carrapatos.
Por favor se souber alguma dica posta no Fórum, o mesmo vale para qualquer outro membro que estiver lendo esta resposta.

Um grande abraço meu amigo.
(29/10/2013 08:47)teblasi Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 08:31)TueriNatura Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 07:28)teblasi Escreveu: [ -> ]Helio,
Pela explanação que você fez, demonstrando entender muito do assunto; me dê sua opinião sobre a eficiência ou não do barro no quesito queimadura por contato com taturana.
Não sei se você sabe, mas moro em uma chácara com muita área verde e tanta área verde assim cobra seu preço: formiga, carrapato, taturana, gambá, etc.
Tempos atrás, mexendo com as plantas uma taturana passou no vão de 2 dedos meus.
Queimou por mais de 4 horas seguidas de uma forma absurdamente dolorosa.
Obrigada.

Teresa

Bom Dia Teresa,
Vou entrar aqui na pergunta que você fêz ao Helio a respeito das taturanas e quem eu, quando crianca chamava de "bicho cabeludo", e vou repostar o que respondí nesse outro tópico:

http://www.bushcraftbr.com/forum/showthr...t=taturana

"Eu aprendí, quando era menino, um remédio caseiro para as queimaduras das taturanas. Não sei se serve para todas as espécies pois somente testei nas pretas que são mais comuns e em uma espécie bem verdinha. Por incrível que pareça, dois acidentes, um comigo e outro com a minha irmã foi tratado com as próprias entranhas da taturana.
Minha mãe esmagou as bichinhas e passou as entranhas em cima da queimadura e foi quase como se tivesse tomado uma anestesia pois a dor passou em questão de minutos e não tivemos nenhum outro efeito como marcas ou inchações.
Mais uma vêz, não sei se funcionará para todos os tipos de taturanas, mas certamente funcionou no nosso caso."

José Carlos, muito obrigada pela resposta.
Esta estação é a época das taturanas, tenho encontrado várias na chacara e matado para evitar acidentes.
Mas tenha a certeza que se alguma me pegar vou experimentar sua técnica.
Penso que a sabedoria dos "antigos" deve ser resgatada, pois eles não contavam com os recursos de medicação que contamos hoje.
Recursos estes em alguns casos, caracterizados por puro interesse da industria farmaceutica.
Cito como exemplo o uso de enxofre com óleo de cozinha para micose e sarna nos cães.
Aprendi esta lição há muito anos atrás, após ter aplicado vários medicamentos industrializados com orientação veterinária sem sucesso; a cachorra continuava com uma micose que fazia cair o pelo em algumas áreas.
Um amigo, criador de cachorros me passou a dica do enxofre, prevenindo para não deixar cair nos olhos, pois cegava o cachorro.
O sucesso foi ótimo e nunca mais usei medicação industrializada para este tipo de problema.
Várias vezes na lida com os bichinhos peguei sarna e micose deles (não devo ter lavado as mãos corretamente após lidar com eles).
Não tive dúvida: usei em mim a mesma medicação com sucesso absoluto.
Atualmente estou uma na fase de pegar carrapato, tive cachorrinha operada que a noite teve queda de temperatura e eu a coloquei na cama comigo para aquecê-la e preservar sua vida.
Não percebi que o interior da orelha dela estava forrado de carrapato.
Nesta única noite se soltaram algumas fêmeas de seu ouvido e infestaram minha cama e o quarto.
Logo no começo fui atacada por uma coceira terrível, sem causa aparente.
Desesperada passei enxofre com óleo de cozinha em todos os locais que coçavam.
Posteriormente descobri a infestação de carrapato, mas para meu espanto em todos os locais onde eu tinha passado o enxofre os 13 filhotinhos de carrapato estavam grudados na minha pele mortos.
Descobri sem querer que enxofre com óleo de cozinha também mata carrapato.
De lá para cá, já retirei 44 carrapatos do meu corpo.
Desinfetei o quarto por 4 vezes com tudo que conheço para acabar com surto de carrapato em cachorro: Triatox (2 vezes) vaporizador e por último sapequei paredes e chão com a vassoura de fogo.
Mesmo após todos estes procedimentos ainda peguei mais 6 carrapatos.
Por favor se souber alguma dica posta no Fórum, o mesmo vale para qualquer outro membro que estiver lendo esta resposta.

Um grande abraço meu amigo.
Quando meus filhos eram bem pequenos, minha filha com 3 anos e meu filho com 1 ano, respectivamente, nós morávamos em uma casa com piso de tacos de madeira.
Um dia reparei um carrapato no corpo do meu filho. Removi o inseto com uma pinça e acabei com ele. Alguns dias depois, eu encontrei um carrapato em mim mesmo e também o matei.
Os ataques dos carrapatos ficaram mais constantes e eu, pelo fato de brincar com as crianças na grama do quintal, pensei que os estávamos pegando no lado de fora da casa.
Minha esposa me chamou e apontou para um carrapato subindo pela parede, próximo ao berço do meu filho e, a partir daí, começamos a encontrar mais e mais carrapatos em casa e, na época, nem tínhamos animais de estimação em casa.
Tirei as crianças de casa por uns dias e comecei a fazer um tratamento na casa com inseticidas e um pó que não me lembro mais do nome, talvez, da marca Baygon
Os carrapatos diminuíram um pouco mas não acabaram por completo, e a infestação continuava.
A solução foi me dada por um amigo que sugeriu que eu usasse querosene no assoalho, rodapés e móveis onde os carrapatos pudessem estar colocando os ovos.
O querosene funcionou mas o cheiro forte nos expulsou de casa por uns dias até que tudo voltasse ao normal. Os carrapatos desapareceram.
Lavamos todas as roupas de cama com água fervente para prevenir e jogamos o colchão do meu filho no lixo pois já estava todo manchado mesmo.
Como você tem animais em casa, não sei se a solução com o querosene vai ser uma boa ideia, a não ser que você, como fiz com meus filhos, os remova para prevenir contra alguma ingestão acidental do produto.
Espero que tenha ajudado e que você encontre uma solução para seu problema com essa peste que pode causar doenças sérias, não só nos animais mas também em nós, seres humanos.
Um abraço!
(29/10/2013 14:54)Roberto Argento Filho Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 10:45)Saymon Escreveu: [ -> ]
(28/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Teresa,

Não tenho experiência com queimadura de lagarta, mas é uma queimadura química e sobre este tema, foi até bom você ter questionado pois eu estava para fazer um post sobre e aproveito o gancho.

Para queimaduras de por altas temperaturas, quer seja óleo, materiais aquecidos ( panelas, tabuleiros, etc ) ou contato com aço incandescente ( forja, solda, etc ) e queimadura química ( no caso em questão foi com ácido sulfúrico ) uma coisa que usamos há décadas aqui em casa é a babosa.

Idealmente usar uma folha mais velha, quando ela está "apontando para baixo", ou seja, quando ela se apresenta "vergada" em direção ao solo.

E são dois os procedimentos. Se a pessoa for alérgica aos glicosídeos mais ativos, que são aquele líquido mais amarelado de sabor intensamente amargo ( basta testar na pele e ver se não causa reação alérgica, que não é comum mas pode acontecer em pessoas com hipersensibilidade ), cortar a ponta da folha e deixar a parte cortada para baixo até drenar o excesso, então cortar um pedaço, remover a casca fibrosa ( externa ) e usar o "gel" ( interior gelatinoso, transparente ) sobre o local afetado.

Pode ser somente "aplicado" passando o "gel" e esperando secar aquela camada inicial e reaplicando assim que secar, mais uma ou duas vezes. Ou pode-se fazer uma "compressa" com o "gel", fixando-o com uma gaze ou pano limpo.

Em quem não for alérgico recomendo apenas cortar a ponta da folha e aplicar sobre o local afetado espremendo a porção final, indo junto a porção glicosídica ( amarelada e amarga ) pois ela tem efeito antisséptico acentuado e anti-inflamatório. Aplicar uma camada, esperar secar e reaplicar e assim proceder durante o dia.

O alívio da sensação de ardência é quase imediato, e o melhor de tudo, a mitigação dos efeitos da queimadura! Queimaduras que normalmente causariam intensa dor e bolhas, podem sequer apresentar bolhas ou se o fizerem é em menor grau e sempre na ausência de ardência.

A pele queimada perde suas caracteristicas de permeabilidade e sua função de barreira protetora contra microorganismos. A babosa além de ter potente ação antisséptica, hidrata o local, forma uma película semi-permeável protetora além de seus vários compostos estimularem a reparação celular/tecidual.

Se a folha ou parte dela cortada for maior, pode-se simplesmente ir cortando a ponta e aplicando no local e colocar um papel filme na extremidade cortada e guardar na geladeira para quando for novamente necessário; dura meses!

Cerca de 2 meses atrás, resolvi limpar uma pia antiga que estava muito manchada com limalha de aço ( ferrugem ), então apliquei com um pincel ácido sulfúrico e um pouco escorreu no meu dedo ( sim, a anta aqui mesmo com centenas de pares de luvas de procedimento à mão, estava sem usar nenhuma ) e não enxaguei imediatamente para não molhar a pia. Me levantei calmamente e me dirigi à outra pia para lavar a mão, já que não apresentava nenhuma ardência...

Quando fui colocar o dedo sob a água, fiquei impressionado pois parecia efeito visual de filme, a porção medial da falange distal, porção afetada, estava com um aspecto de grande edema mas ao mesmo tempo como se estivesse "enrugada" como acontece com longa exposição à água. Havia ocorrido nítido dano celular e tecidual com estravasamento de exudato celular para o interstício dos tecidos e havia uma sensação de aspereza como se fosse uma lixa e ai começou uma sensação de calor e ardência.

Cortei uma ponta de uma folha de babosa e apliquei no local, reaplicando mais 2 ou 3 vezes após seca cada camada. Até para minha surpresa, com menos de 2 horas o local não apresentava mais o "enrugado" e nem o edema, tendo ficado apenas avermelhado e com a nítida diminuição da sensação tátil, sinal inequívoco da "queima" das terminações nervosas, mas absolutamente nenhuma ardência ou dor.

Com o passar de poucos dias a recuperação foi total, apresentando apenas uma descamação da pele como quando se vai à praia, mas absolutamente nenhum desconforto, e com a nova pele por baixo já se apresentando com algum nível de queratinização sem ser aquela pele "fina, avermelhada e sensível".

Sinto não ter respondido sua questão principal, pois de qualquer forma queimadura por taturanas se não souber diferencias as espécies deve sempre ser encarada como acidente grave e se dirigir imediatamente à uma unidade de tratamento médico, pois algumas delas podem ser fatais em casos extremos ( preferencialmente levar a taturana junto para identificação da espécie e a necessidade ou não de maior suporte específico)!

Aqui uma foto da perigosa Lonomia obliqua que é a que causa os acidentes potencialmente graves:

[Imagem: wilv8w.jpg]

No caso das taturanas comuns, menos perigosas, acho que lavar o local com água e sabão se possível usando uma esponja fina para remover as espículas ( pêlos ) e aplicar a babosa deve dar alívio como no caso das demais queimaduras e claro, sendo possível, capturar a taturana e ir à uma unidade de saúde.

Abraço

Babosa é um remédio pra muita coisa mesmo! Só não aprovei pra clavície..hehehe. Ouví dizer que para queimaduras com ácido sulfurico o vinagre se sai bem também...o velho esquema químico de ácido anular base, mas como nunca me queimei com ácido ( e nem quero) não testei...

Quanto à eficiência do vinagre para queimaduras químicas, somente quando o agente químico tem Ph ALCALINO, por exemplo, Soda Cáustica. Para ácido sulfúrico, o Antídoto é, justamente, a Soda Cáustica, do exemplo; também funciona ao contrário, para queimadura com Soda Cáustica (alcali), um antídoto seria o Acido Sulfúrico (ácido), claro, o vinagre por ser ácido (acido acético) - Ácidos neutralizam Álcalis , Álcalis neutralizam Ácidos. - duas coisas que temos em casa servem para queimaduras químicas, ( Vinagre, para as queimaduras alcalinas e Água Sanitária para as queimaduras ácidas ); se o Cabral tivesse lembrado da química teria derramado água sanitária no dedo ao invés de mergulha-lo na água da torneira
-Abração-


Roberto!!! meu amigo obrigado! perdão...o correto seria soda caustica mesmo e não ácido sulfúrico como disse acima! Muito obrigado pela correção...abraços
Biblioteca Bushcraft Brasil.
A cada dia ganhando novas páginas, novos tomos e volumes.
Um caleidoscópio cultural, onde brotam informações e conhecimentos de tudo quanto é lado. Dos mais simples aos mais complexos.
Sinto-me honrado de participar deste fórum e ter o prazer de conhecer virtualmente todos vocês.
Estão de parabéns pelas atitudes e notória simplicidade em compartilhar tanta informação.
Abraços.
(29/10/2013 22:03)Noinha Escreveu: [ -> ]Biblioteca Bushcraft Brasil.
A cada dia ganhando novas páginas, novos tomos e volumes.
Um caleidoscópio cultural, onde brotam informações e conhecimentos de tudo quanto é lado. Dos mais simples aos mais complexos.
Sinto-me honrado de participar deste fórum e ter o prazer de conhecer virtualmente todos vocês.
Estão de parabéns pelas atitudes e notória simplicidade em compartilhar tanta informação.
Abraços.

Isso mesmo Noinha. Concordo em 100% contigo.
Esse fórum é um apanhado de informações.
Tbém tenho a honra de participar disso aq e sempre estar em evolução e aprendizado.

Abraço.
(29/10/2013 22:03)Noinha Escreveu: [ -> ]Biblioteca Bushcraft Brasil.
A cada dia ganhando novas páginas, novos tomos e volumes.
Um caleidoscópio cultural, onde brotam informações e conhecimentos de tudo quanto é lado. Dos mais simples aos mais complexos.
Sinto-me honrado de participar deste fórum e ter o prazer de conhecer virtualmente todos vocês.
Estão de parabéns pelas atitudes e notória simplicidade em compartilhar tanta informação.
Abraços.

(29/10/2013 22:13)Dambrós Escreveu: [ -> ]
(29/10/2013 22:03)Noinha Escreveu: [ -> ]Biblioteca Bushcraft Brasil.
A cada dia ganhando novas páginas, novos tomos e volumes.
Um caleidoscópio cultural, onde brotam informações e conhecimentos de tudo quanto é lado. Dos mais simples aos mais complexos.
Sinto-me honrado de participar deste fórum e ter o prazer de conhecer virtualmente todos vocês.
Estão de parabéns pelas atitudes e notória simplicidade em compartilhar tanta informação.
Abraços.

Isso mesmo Noinha. Concordo em 100% contigo.
Esse fórum é um apanhado de informações.
Tbém tenho a honra de participar disso aq e sempre estar em evolução e aprendizado.

Abraço.
Amigos Noinha e Dambrós, eu é que tenho que agradecer a esse fórum e a todos os que postam uma gama de conhecimentos que já dariam para produzir uma enciclopédia com vários volumes.
Aqui posso lembrar, relembrar, aprender coisas novas que de outra forma jamais teria a oportunidade de saber e, principalmente, conviver com pessoas maravilhosas como vocês que compartilham as mesmas afinidades que eu. Sem a internet e as informações nela obtidas minha vidinha mateira no Brasil seria limitada a pescar um lambarizinhos de vez em quando.
Obrigado a todos os que postam nesse e outros fóruns e também aos que vão mais além e postam seus vídeos com excelentes dicas e explicações.
(27/10/2013 10:12)TueriNatura Escreveu: [ -> ]
Citar:José Carlos, pensei que o "veio doido" fosse o único a usar esta técnica.
Veja como o Fórum é enriquecedor: acabei de aprender que o barro previne contra picadas de mosquitos (quando se está na beira da água eles tiram a gente do sério).
A folha da pata de vaca que você se refere é de uma árvore que leva este nome, fica enorme e tem flores cor de rosa?
Obrigada pela sua contribuição.
Grande abraço.

Teresa, a árvore tem o mesmo nome e é de tamanho médio. Não me lembro das flores pois sempre a identifiquei pelas folhas que, como o nome diz, parece uma pata de vaca.
Tinhamos uma no fundo do quintal em Petrópolis e minha mãe usava a folha, aquecida ao fogo com um pouquinho de azeite, para drenar furúnculos, que hoje quase não se vê mais.

[Imagem: 2mgo6z6.jpg]

Quase todos nós que vivemos no interior, em cidades pequenas temos um "véio" contador de prosa e entendido dos segredos da flora e fauna da região
Esse aqui, que já se foi há muitos anos, figura notória na cidade e que, apesar de estar sempre bêbado, me ensinou a colher mel de abelha cachorro entre outras coisas.

[Imagem: 2cyp45l.jpg]

José Carlos, fui conferir as fotos da pata de vaca: plantei uma há alguns anos na chacara. Ela dá flores e pela ótica da minha altura é uma árvore grande, mas tenho só 1,60 mt.
Abraços.
(28/10/2013 08:30)Helio Cabral Jr Escreveu: [ -> ]Teresa,

Não tenho experiência com queimadura de lagarta, mas é uma queimadura química e sobre este tema, foi até bom você ter questionado pois eu estava para fazer um post sobre e aproveito o gancho.

Para queimaduras de por altas temperaturas, quer seja óleo, materiais aquecidos ( panelas, tabuleiros, etc ) ou contato com aço incandescente ( forja, solda, etc ) e queimadura química ( no caso em questão foi com ácido sulfúrico ) uma coisa que usamos há décadas aqui em casa é a babosa.

Idealmente usar uma folha mais velha, quando ela está "apontando para baixo", ou seja, quando ela se apresenta "vergada" em direção ao solo.

E são dois os procedimentos. Se a pessoa for alérgica aos glicosídeos mais ativos, que são aquele líquido mais amarelado de sabor intensamente amargo ( basta testar na pele e ver se não causa reação alérgica, que não é comum mas pode acontecer em pessoas com hipersensibilidade ), cortar a ponta da folha e deixar a parte cortada para baixo até drenar o excesso, então cortar um pedaço, remover a casca fibrosa ( externa ) e usar o "gel" ( interior gelatinoso, transparente ) sobre o local afetado.

Pode ser somente "aplicado" passando o "gel" e esperando secar aquela camada inicial e reaplicando assim que secar, mais uma ou duas vezes. Ou pode-se fazer uma "compressa" com o "gel", fixando-o com uma gaze ou pano limpo.

Em quem não for alérgico recomendo apenas cortar a ponta da folha e aplicar sobre o local afetado espremendo a porção final, indo junto a porção glicosídica ( amarelada e amarga ) pois ela tem efeito antisséptico acentuado e anti-inflamatório. Aplicar uma camada, esperar secar e reaplicar e assim proceder durante o dia.

O alívio da sensação de ardência é quase imediato, e o melhor de tudo, a mitigação dos efeitos da queimadura! Queimaduras que normalmente causariam intensa dor e bolhas, podem sequer apresentar bolhas ou se o fizerem é em menor grau e sempre na ausência de ardência.

A pele queimada perde suas caracteristicas de permeabilidade e sua função de barreira protetora contra microorganismos. A babosa além de ter potente ação antisséptica, hidrata o local, forma uma película semi-permeável protetora além de seus vários compostos estimularem a reparação celular/tecidual.

Se a folha ou parte dela cortada for maior, pode-se simplesmente ir cortando a ponta e aplicando no local e colocar um papel filme na extremidade cortada e guardar na geladeira para quando for novamente necessário; dura meses!

Cerca de 2 meses atrás, resolvi limpar uma pia antiga que estava muito manchada com limalha de aço ( ferrugem ), então apliquei com um pincel ácido sulfúrico e um pouco escorreu no meu dedo ( sim, a anta aqui mesmo com centenas de pares de luvas de procedimento à mão, estava sem usar nenhuma ) e não enxaguei imediatamente para não molhar a pia. Me levantei calmamente e me dirigi à outra pia para lavar a mão, já que não apresentava nenhuma ardência...

Quando fui colocar o dedo sob a água, fiquei impressionado pois parecia efeito visual de filme, a porção medial da falange distal, porção afetada, estava com um aspecto de grande edema mas ao mesmo tempo como se estivesse "enrugada" como acontece com longa exposição à água. Havia ocorrido nítido dano celular e tecidual com estravasamento de exudato celular para o interstício dos tecidos e havia uma sensação de aspereza como se fosse uma lixa e ai começou uma sensação de calor e ardência.

Cortei uma ponta de uma folha de babosa e apliquei no local, reaplicando mais 2 ou 3 vezes após seca cada camada. Até para minha surpresa, com menos de 2 horas o local não apresentava mais o "enrugado" e nem o edema, tendo ficado apenas avermelhado e com a nítida diminuição da sensação tátil, sinal inequívoco da "queima" das terminações nervosas, mas absolutamente nenhuma ardência ou dor.

Com o passar de poucos dias a recuperação foi total, apresentando apenas uma descamação da pele como quando se vai à praia, mas absolutamente nenhum desconforto, e com a nova pele por baixo já se apresentando com algum nível de queratinização sem ser aquela pele "fina, avermelhada e sensível".

Sinto não ter respondido sua questão principal, pois de qualquer forma queimadura por taturanas se não souber diferencias as espécies deve sempre ser encarada como acidente grave e se dirigir imediatamente à uma unidade de tratamento médico, pois algumas delas podem ser fatais em casos extremos ( preferencialmente levar a taturana junto para identificação da espécie e a necessidade ou não de maior suporte específico)!

Aqui uma foto da perigosa Lonomia obliqua que é a que causa os acidentes potencialmente graves:

[Imagem: wilv8w.jpg]

No caso das taturanas comuns, menos perigosas, acho que lavar o local com água e sabão se possível usando uma esponja fina para remover as espículas ( pêlos ) e aplicar a babosa deve dar alívio como no caso das demais queimaduras e claro, sendo possível, capturar a taturana e ir à uma unidade de saúde.

Abraço

Obrigada Helio pelas dicas e explanação muito úteis e consistentes.
Tenho um pé de babosa que estava plantado em um vaso e cresceu tanto que não coube mais no recipiente. Tirei do vaso e simplesmente deixei sobre a terra sem plantá-lo.
Depois de sua explanação vou escolher um local e plantá-lo devidamente e usar e abusar de suas propriedades.
Até o presente momento nunca encontrei uma taturana como a da foto, aqui só encontro das pretas que causam queimaduras e das que me deixam louca comendo meu pé de manacá da serra, mas são completamente inofencivas quanto a queimaduras.
Obrigada por enriquecer o tópico com seu depoimento.

Abraço
Páginas: 1 2
URL de Referência